Maravilhas do Vinagre de maça e suas aplicações





Veja nesta sessão um pouco sobre a história do vinagre natural,, artigos, reportagens, curiosidades e muito mais.










Outras Informações

A Disperção dos Esforços Humanos - Por Dino Kraspedon - Adaptação Carlos Viccino

Este documento dedicamos a todos os homens de boa vontade que se preocupam com a transformação das sociedades. Indivíduos que se consideram cidadãos do mundo e, acreditam numa sociedade do homem para o homem, longe de toda a cobiça e ódio, da discriminação social, racial e religiosa.

De que serve o homem ter tudo e tudo saber, dominar todas as forças da Natureza se não é capaz de manter domínio no seu coração?

Muitos homens de ciência se ergueram no mundo e, arrogantemente se sentiram superiores aos outros homens. Mas morreram e, seus princípios foram depois mostrados que eram inexatos. Deles ficou a lembrança de indivíduos que pensavam tudo saber, mas que estavam enganados e que nem mesmo conheciam a si próprio. Outros ficaram célebres pela posse de bens materiais, mas a morte destruiu o seu império e no último instante sentiram-se infelizes como ninguém vendo que viveram na ilusão. Com ciência e dinheiro ninguém morreu feliz. Entretanto, os que revelaram a sabedoria através do amor ainda perduram no coração humano, tendo expirado felizes e assim vivido: Jesus de Nazaré Florence Nighitingale, Gandi, Pasteur e, muitos outros indivíduos que ainda estão vivos como indivíduos veros, fazendo que a luz do seu amor ilumine a vida de muitos. Porém, é sempre bom relembrar que o amor, e o verdadeiro discernimento são atributos de uma ação altamente impessoal e positiva, baseado na opinião de que a única opinião que deve ser levada em consideração é aquela que tem por base o conhecimento. Pode ficar certo que o cidadão terrestre São Francisco de Assis está numa altura tão elevada que o sábio que fez a bomba atômica jamais lhe pode tocar a planta dos pés.

Há homens de muitos bens na Terra. Todavia, a sua riqueza não impede que um filho seu se torne homicida ou ladrão. Nesse caso a riqueza o fez feliz? Esse homem rico manda o filho a uma universidade e, depois de alguns anos ele volta ilustrado e com um título. Mas acaso um título faz do indivíduo um homem de bem? Quantos advogados há que são ladrões? Quantos engenheiros há que são estelionatários? Quantos médicos assassinos? Quantos religiosos imorais? Um pai sentir-se-ia feliz sem ter nada para comer, tendo no filho um modelo de virtudes, que afundado em dinheiro ver o filho preso como ladrão ou assassino.

Ninguém pode excluir do progresso a questão moral. O mal humano é nunca saber andar sem estar com os olhos voltados para o caminho percorrido. A conseqüência é petrificar-se numa estátua de sal, como a mulher de Lot. Espírito conservador por excelência, o homem prefere viver na saudade de um tempo que jamais pode voltar, do que na esperança de um futuro grandioso. Teme o dia seguinte, em vez de auxiliar o futuro a preparar-lhe o caminho.

Por exemplo: gastam dinheiro, tempo do professor, tempo do aluno, despesas de instalações, fosfato para ensinar línguas mortas que já deviam estar sepultadas. Para ensinar coisas inúteis gastam papel, tinta, giz e mil outras coisas que podiam ser melhor aproveitadas. Porque em vez de uma matéria inútil, não ensinam o processo da fotossíntese? Mas vale saber o que significa um gradiente potencial ou uma somatória de funções do que conhecer todas as declinações de uma língua extinta. Mas em vez de desvendarem o futuro que é grandioso, preferem viver entre as múmias da história desenterrando caveiras para injetar-lhes vida fictícia.

Há uma infinidade de coisas que as crianças nunca ouviram falar e que possivelmente jamais ouvirão. No lugar de perder suas horas preciosas na frente da televisão, mostrem-lhes como se cultivam as cebolas e os aipos. Ensinem-lhes que o milho, além de bom alimento, usa-se o tronco e as palhas para obter-se o furfural, a viscose, xilose, ácido ascético, sabão, álcool, celulose, açúcar, placas, tecidos, combustível, alfa, etc., e que nunca devemos enterrar o tronco e as palhas porque não se prestam para adubos e perpetuam no solo certas pragas.

Diga-lhes o que quer dizer potencial hidrogênico do solo, como se corrige a acidez, quais as necessidades da terra em hidrogênio, césio, cobalto, enxofre, manganês, fósforo. Mostrem-lhes que os hormônios vegetais podem produzir folhas de couve com três metros de altura, maçãs com vários quilos, tão tenras como o pêssego. Ensinem-lhes que a luciferina, combinada com hormônios vegetais e enzimas, faz que as flores produzam luz esverdeada como lâmpadas elétricas, e que as rosas assim tratadas se tornam gigantes reluzentes.

As crianças podem se esquecer dos nomes dos grandes devastadores da humanidade, mas nunca esquecerão que é possível transformar a luz solar quase integralmente em energia utilizável, fazendo passar por um gás carbono que se une à água, formando o aldeído fórmico, e que o aldeído oxidado restitui a luz solar em forma de corrente elétrica utilizável. Os homens podem se esquecer do poder brutal que balizou a estrada da destruição em Hiroxima e Nagasaki, mas jamais se esquecerão que é possível aproveitar a fabulosa força da pressão atmosférica de 1.033 kg/cm2, dando-lhe uma diferença de potencial através das estranhas propriedades dos raios catódicos, criando uma zona de baixa pressão, podendo dessa forma, acionar as pás de uma turbina. Esse sistema revolucionaria o mundo, tornando obsoletos os atuais sistemas de geração de energia elétrica. Por outro lado, os atuais sistemas de transportes, se tornariam obsoletos, ao usarmos a força da pressão atmosférica, além do que, esse sistema seria totalmente antipoluente. Porém, o que é bom e útil para a grande maioria das pessoas, é péssimo para umas poucas pessoas que não medem esforços para a satisfação de suas ambições megalomaníacas.

Muito mais beleza existe no ponto de viragem da química do que na matéria referente à destruição de Cartago.

Milhões de indivíduos morrem de câncer todos os anos enquanto nas escolas ensinam crianças às cores das bandeiras das nações, brutalizando o inato sentimento gregário do homem, que desconhece intuitivamente as barreiras artificiais que o poder econômico ergue no mundo. Em vez de decorarem a palavra China, que aprendam césio; em vez de França, Brasil, Estados Unidos, União Soviética, conheçam nitrogênio, enxofre, ferro, etc. Ensinem que esses elementos, entre outros, produzem as proteínas e que estas unidas ao cobalto, são o fator anti-anêmico, conhecido como vitamina B12.

Em vez de tecermos comentários sobre o poder destrutivo dos Estados Unidos ou da União Soviética, com os seus principais responsáveis pelo câncer quando se radica na célula, e que o césio, tem a propriedade de lhe roubar um elétron, tornando o hidrogênio simples e inofensivo. Dêem-lhes estatísticas indicativas que demonstrem que o câncer ataca mais as pessoas crianças ou velhas, que não tem ainda o poder viril ou que já o esgotaram, e que assim o sexo é uma arma de defesa orgânica e os seus hormônios não devem ser desperdiçados por mera satisfação dos instintos. Ensinem-lhes que em vez de bebidas alcoólicas, é preferível que se tome extrato hepático com enzimas, porque estes elementos fazem o câncer regredir.

É admirável e irônico que uma humanidade, que ainda não descobriu o fator antituberculoso, vá a uma escola decorar figuras de retórica, aprender pecoração e outras coisas inúteis. Isso devia constituir passa-tempo de quem não tem problemas mortais que devastam milhões de pessoas. É o mesmo que um homem, que estivesse se agonizando, se metesse a estudar a métrica dos versos alexandrinos.

Porém, tudo isso reunido ainda não constitui o maior pecado humano. A dispersão dos esforços humanos atinge um grau impressionante.

Podemos fazer um cálculo estatístico aproximado, da utilização da força de trabalho e dos recursos gerados através, é claro, da produção. Há no Brasil, cerca de aproximadamente 50 milhões de criaturas. Desse número, mais ou menos, 30 milhões são constituídos por crianças e jovens ainda não produtivos; 10 milhões são representados por mulheres e só restam uns 10 milhões de homens.

Nesse número se incluem velhos aposentados e desocupados, mendigos, tuberculosos, leprosos, loucos, aleijados, cegos, ladrões, penitenciários, desempregados, desajustados, subnutridos, prostitutas, atormentados e outros. Grande parte se dedica aos ramos especulativos, sem nada produzir, como atacadistas, varejistas, empregados de balcão, corretores de imóveis e de títulos, advogados, banqueiros, jornalistas e bancários etc.

Outra parte se ocupa em atividades tais como: policiais, exército, marinha, aeronáutica, magistrados e seus auxiliares, políticos, pessoal diplomático, funcionalismo público, etc., etc.

Restam apenas uns 2 milhões de homens e mulheres produtivos no sentido real do termo, que se dividem entre a agricultura e a indústria. Restaria ver se esse pessoal que se dedica à agricultura, também é produtivo no bom sentido do termo, e se as indústrias são aquelas que realmente o país precisa. De qualquer maneira, supondo que esses homens fossem produtivos, teríamos 2 milhões, para 50 milhões, um homem trabalhando para 25 pessoas - o que é um absurdo se considerarmos que esse indivíduo, que produz para 25, é o de menos recursos, sem máquinas que o auxiliem, sangrado, escorchado pelos que vivem do seu suor e que mantém um elevado padrão de vida.

Do número de 1 milhão que se dedica à vida do campo, grande parte ainda prejudica a sociedade, pois produz fumo, maconha, ou se dedica à engorda de animais que destroem a terra ou vão depois intoxicar a humanidade com carne, brutalizando os seus sentimentos e ativando suas paixões inferiores. – “Chegará o dia em que os homens conhecerão o íntimo dos animais, e nesse dia um crime contra um animal será considerado um crime contra a humanidade”, escreveu-nos, o grande homem terrestre Leonardo D’Vinci.

“As indústrias são boas, e as chaminés são os pulmões que expele o carbono do organismo social. Mas o esforço neste sentido é quase nulo”. Quando fazem fábricas, nem sempre é para solucionarem os problemas fundamentais que existem. A grande maioria se dedica à fabricação de cosméticos, jóias, cintos inúteis para mulheres, bolsas sem finalidades, chapéus que realçam a vaidade, batons, esmalte para unhas, sapatos que fazem mal aos pés e atacam os músculos do ventre, meias que não protegem, bebidas alcoólicas, cigarros, alimentos refinados, enlatados e seus aditivos que irão depois envenenar e adoecer o organismo da população provocando altíssimas despesas com tratamentos na previdência social do país, além da paralisação dessa mão de obra; armas de caça e violência pessoal, munições, projetos bilionários em armamento bélico sob alegação de despesas de segurança nacional, e uma infindável quantidade de produtos e alimentos supérfluos sem finalidade real e sem valor nutritivo, quando há um sem número de outras coisas úteis e necessárias que podiam ser fabricadas em grandes quantidades, como agasalhos em abundância, remédios, neutralizantes de ervas, alimentos concentrados para socorrer populações flageladas, livros de ciência e filosofia, sapatos plásticos, instrumentos cirúrgicos e ortopédicos, adubos biológicos naturais, plantadeiras e colhedeiras mecânicas, móveis duráveis e indestrutíveis, melhores colchões, aparelhos de sondagens do solo, carros elétricos que não poluem, material educativo para o desenvolvimento da criança, precipitadores de nitrogênio, e muito mais coisas importantes e necessárias.

Mas façamos caso omisso de toda essa dispersão de esforços e vejamos como são gastos com o suor desses 2 milhões, que bem ou mal, fazem alguma coisa. Da despesa global do país, aproximadamente uns 70% sãos gastos com as forças armadas, uns 20% sãos dependidos com o funcionalismo público, assembléias, juros da dívida pública, amortizações, banquetes, despesas governamentais, ministérios do exterior, viagens protocolares, máquina eleitoral, etc. Sem deixar de mencionar o dinheiro que é criminosamente roubado em proveito próprio dos cobres público pelos homens que administram os recursos da nação.

Resta uma pequena parte que se dedica a bons fins, como a educação, saúde e agricultura. Imagine se todo esse potencial econômico fosse revertido na construção de estradas, ferrovias, escolas, hospitais, centros poli esportivos, escolas de desenvolvimento artístico, como a música, a dança, o teatro, centro de pesquisas com finalidades pacíficas e de elevação social, saneamento, indústrias novas, áreas de lavoura, habitações, transportes, universidades, etc., etc., etc.

Calcule se toda essa imensa legião de desocupados que se vê perambulando pelas ruas durante o dia passasse a ser uma nova fonte de produção no campo ou na indústria.

Toda a verba consumida pela república ainda não é tudo. E as despesas estaduais? Já verificou todo o dinheiro gasto com o governo, funcionalismo público, policia? Quantos policiais há só no nosso estado? As despesas com os cavalos mantidos para os desfiles dariam para alimentar e agasalhar uma multidão de famintos que perambulam pelas ruas sob a chuva e o sereno. E parece irônico que numa sociedade cujos membros sofrem fome e frio, vivam cavalos com rações balanceadas, cobertos com boas mantas de lã.

Necessário a polícia? Sim, necessário! É a necessidade do estado policiado que falava Rosseau. Mas se o é, foi porque os homens a fizeram imprescindível. Se um povo gasta o seu suor com coisas más, da sua leviandade vem à miséria, o roubo e o assassinato. Houvesse abundância, e ninguém pensaria em matar ou roubar. No fundo de toda a exaltação dos instintos humanos está o dinheiro, porque através dele vem os recalques, a ganância, a voracidade dos lucros e a falta de misericórdia. Se há o roubo, não é porque o ladrão tenha amor ao crime, a não ser exceção, mas porque se sente roubado pela sociedade que lhe arrebatou o direito de ter a sua casa, poder plantar sem pagar aluguel a ninguém e gozar amplamente da liberdade que a mãe Natureza nunca negou.

Devido ao sistema de vida atual, o gasto de combustível e a conseqüente poluição do meio ambiente, são alarmantes. Os automóveis, com capacidade para muitas pessoas, correm com um único indivíduo que na maior parte das vezes está se divertindo, enquanto o outro que trabalha e que produz, não tem meios de locomoção. O voraz desejo de lucro e o comércio criam necessidades de gasolina, óleos, pneus e centenas de outras necessidades supérfluas. Modificassem a sociedade e veriam desaparecer os carros que atravancam as ruas na hora do “rush”. Dessa maneira poderia ser feita uma economia substancial tremenda, e o lixo chamado poluição não estaria hoje ameaçando até o próprio mecanismo sapientíssimo de equilíbrio do planeta, pondo em risco a continuidade da vida humana e de outros seres.

Mas para a sociedade humana até o progresso é perigoso. Evolua a cibernética, e os homens morrerão de fome devido ao desemprego. Entretanto até os serviços manuais que hoje fazemos, poderia ser executado por cérebros eletrônicos obedientes, prestativos e incansáveis. Esses robôs poderiam: arar, semear, lançar inseticida, adubar, podar, colher beneficiar. Se vissem uma planta doente, saberiam julgar se convinha que ela fosse tratada ou se apresentava perigo para as outras e devia ser sacrificada. Essas máquinas atingiriam um alto grau de aperfeiçoamento que automaticamente dirigiriam os veículos terrestres, sem perigo de atropelo ou acidentes, pilotariam os aviões com segurança, comunicando à base terrestre possível defeitos e tomando as medidas de reparação em pleno vôo. Mediriam o metabolismo e se comportariam como médicos, fornecendo inclusive, energias restauradoras. Com muito menos com que se gastam com cigarros todos os anos acabaríamos com o câncer. Com um décimo do dinheiro empregado em bebidas alcoólicas faríamos outras doenças sumirem da face da terra e a lepra e a meningite, não mais seriam nomeadas nas estatísticas. Com uma ínfima parte do que se gasta hoje no mundo em armamento, poderíamos eliminar para sempre o espectro da fome que assola milhões de criaturas no mundo inteiro. O controle da atmosfera poderia regular o clima evitando as catástrofes coletivas e salvando as colheitas.

Com o dinheiro gasto na máquina de propaganda dos políticos, investiríamos na piscotrônica e sua filha a radiônica, conquistas fabulosas da ciência de fundo de quintal. E essas técnicas poderiam revolucionar a sociedade, muito além do que poderia imaginar as mentes comuns. Porém, toda a luz tem a sua sobra, e o mau uso desse poder nos levaria a era das cavernas novamente.

Células fotoelétricas especiais poderiam ser instaladas nas ruas das grandes cidades, que absorveriam todo o ruído cuja vibração fosse de natureza irritante.

O ensino poderia ser modificado. Naturalmente, com uma modificação fundamental, enviaria os professores para casa, e na atual situação do mundo seria uma péssima coisa, pois essas pessoas iriam passar sérias privações.

Hoje um indivíduo gasta o melhor da sua vida debruçado sobre os livros, indo dos 07 aos 30 anos, e no fim vê desolado que nada aprendeu e que muito ainda tem pela frente. A própria vida é curta para aprender. Todavia, usando certas técnicas especiais no sonambulismo, podemos aprender toda uma ciência que antes demanda tempo e rouba a plenitude da juventude. E aprenderia com o máximo de exatidão.

O pensamento humano é irradiado numa faixa de cinco milímetros. Envia-lhe mensagens elétricas nessa faixa, em ondas sucessivas, e toda a ciência humana poderá ser transmitida em pouco tempo. O aluno podia ir cedo para o colégio, dormir e voltar com o pergaminho de doutor em ciência colocado no bolso. O espírito desconhece as relações de espaço e tempo, e para ele toda uma eternidade pode ser resumida num segundo e um segundo transformar-se numa eternidade inteira e sem fim. Isso poderia ser feito em larga escala, a milhares de alunos ao mesmo tempo e não sacrificaria a criança com longas lições, impertinências dos professores e outros inconvenientes do atual sistema. Seria mais cômodo, mais fácil, mais barato e não levaria tempo.

Mas até isso seria um mal, devido o abuso que os homens poderiam fazer ao seu semelhante para ter poder e manipular o livre arbítrio de seus irmãos.

Modificassem a sociedade em seu arcabouço, e ela venceria os prejuízos morais que afligem os seus passos.

A dispersão dos esforços humanos atinge uma somatória gigantesca. Os recursos da Nação, além de mal administrados, são criminosamente roubados em proveito particulares, como se estas pessoas não fossem algum dia em sua existência prestar contas das responsabilidades assumidas perante uma Ordem Superior, lembrando sempre que a quem muito é dado, muito será exigido. O Cosmos não é essa engrenagem gigantesca que viaja ao acaso sem uma diretriz que a vã ciência acadêmica arrogantemente tem feito os homens acreditarem. O universo é uma casa que tem dono, aonde apenas o humilde de espírito encontra repouso e paz, e o arrogante racionalista apenas confusão mental.

Mas isso não é tudo: a vergonhosa, desmoralização das autoridades públicas através de denúncia e mais denúncia de corrupção e envolvimento das autoridades, que deveriam ser exemplo de honra e dignidade, em negócios os mais nefandos e miseráveis, sem que a própria justiça tome qualquer atitude para frear essa sangria do dinheiro público. A violência institucionalizada estarrecedora e medonha em que estamos vivendo hoje em dia nas cidades, e agora invadindo os campos. O espectro da fome pressionando cada vez mais as massas humanas, a juventude ociosa e afligida pelas drogas, pelos maus exemplos. O sexo sendo erigido como literatura e explorado da maneira mais ardilosa e sutil pelo verdadeiro monstro que se transformou a televisão. E não bastasse isso, a denuncia horrorosa da veiculação de faixa de irradiações através da televisão de cunho doutrinário do capitalismo selvagem a nível subconsciente por interesse de potentados, condicionando as massas para o consumo e servidão do Estado. Sendo que tal ameaça é mais dramática e irracional do que a própria ameaça da bomba H. Mas nada se faz a esse respeito.

A criança e a velhice desamparada e entregue a sua própria sorte. Isto é, os sonhos da juventude e a sabedoria dos idosos se perdendo lamentavelmente, mostrando o disparate em que nós nos encontramos hoje em dia.

Tudo isso como um março indicativo, um sinal precursor de acontecimentos, da falência do atual sistema egoísta o lucro que não conseguiu enxergar ainda que todos os homens são cidadãos do planeta Terra e merecem estar aqui por direito divino. Porque tanta violência, se nesse mundo há fartura e espaço para todos?

Os recursos maravilhosos da ciência e da tecnologia poderiam trabalhar para o homem, e o homem teria uma vida despreocupada, rica, feliz. Sobrar-lhe-ia tempo para o lazer, para o cultivo da expressão artística e criativa, para o estudo da ciência e do aprofundamento dos mistérios da Natureza e, principalmente para o aperfeiçoamento interior. Aprenderia sobre o valor da virtude, da nobreza de caráter, e, sobretudo do valor da amizade. O homem poderia trabalhar algumas horas por dia apenas, naquilo que mais estivesse de acordo com suas inclinações num verdadeiro espírito de cooperação. O Estado organizaria todas as tarefas necessárias da produção para a sua manutenção. É evidente, que ninguém pensaria em lucro, porque a compreensão das verdades Crísticas impediriam qualquer iniciativa de lucro e poder, e afinal de contas todos teriam tudo daquilo que é de melhor e de mais perfeito que a indústria e ou a engenhosidade humana pudesse fabricar, sem que para isso precisasse se preocupar. Enfim, poderíamos construir uma sociedade mais deslumbrante daquelas dos contos de fantasia, onde ninguém estaria abandonado e, aberta para o Cosmos, permitindo que nossos irmãos mais velhos do sistema solar desçam das alturas com suas naves belas e participem de nossas vidas nos ensinando suas ciências e filosofias para o crescimento, liberdade e abundância para todos. Isso poderia ser real se todos desejassem. Sim! Se, a maioria dos cidadãos deste planeta desejassem.

Tudo foi dito do ponto de vista material, porém poderíamos indicar outros caminhos que a ciência jamais sonhou.

Como bem disse um ex-presidente do pós segunda guerra mundial: “Esta geração, tem um encontro marcado com o destino” Sendo como é a situação, todos têm que colaborar, porque dentro do eco-sistema em que vivemos todos serão afetados, e cabe a cada um contribuir com o seu trabalho para melhorar o mundo, mas nunca se esquecendo daquele ditado de que a caridade começa em casa.

Num antigo edifício do governo hindu há uma inscrição que diz: “Não é a liberdade que deve descer até um povo, é o povo que deve ascender até ela”.

Entretanto, cabe ao Estado governar sabiamente e com seu poder educar os homens, principalmente os indivíduos menos dotados cerebralmente, ensinando-os através de uma sadia disciplina, e de exemplos, a valorizar a virtude, a honestidade, o valor do trabalho, a conscientização para o domínio dos vícios e dos desvios morais, e o desenvolvimento de um espírito de companheirismo, firmado no trinômio universal, próprio das sociedades realmente avançadas que habitam nesse Universo imenso, que é: “Amar, ser útil e verdadeiro”. Sim, para que os homens da Terra possam viver com liberdade, porque é dever do Estado ensiná-los, cuidai-los, protegê-los, e aprendendo que toda liberdade tem sua própria responsabilidade.

Há dois mil anos, Cristo, com real fundamento, apelando para o pai, intercedeu a favor da humanidade, com estas palavras de misericórdia: “Pai perdoai-lhes, porque eles não sabem o que fazem”. Mas agora a justiça divina falará de outro modo, porque os filhos da Terra já sabem o que fazem. No entanto, apesar de já saberem o que fazem, pensemos: Que aconteceria ao divino Mestre se Ele agora voltasse ao nosso mundo e saísse de novo à praça pública, pregasse com o mesmo desassombro as suas doutrinas que manda dar sem o intuito de receber e resolvesse enfrentar os poderosos que escravizam o povo? Surgiriam, com certeza, novos fariseus, novos Caífas, novos Judas e outros algozes, que o matariam pela segunda vez. E se não o matassem, então, pelos menos, não escaparia de ser jogado num instituto de psicopatas.

Esta, sem dúvida, seria a sorte dessa Excelsa Inteligência, se de novo voltasse a Terra em vista da extrema decadência moral e da exaltação extrema de ódios em que se encontra o mundo. Ele se houvesse de reportar-se aos múltiplos expoentes de seres Iluminados, que tem condicionado os destinos da humanidade, talvez a sua dor imensa desabafasse deste modo:

“Oh almas, oh consciências que durante vinte séculos, tivestes os destinos da humanidade submetidos às diretrizes do vosso saber e do vosso arbítrio: que fizestes desse rebanho de ovelha que vos confiei, pois o vejo dividido e transformado em hordas de tigres, lobos e chacais.”

“Sábios, filósofos e gênios criadores, que filosofastes, descobristes se não conseguistes guiar e iluminar as consciências com a luz dos ideais superiores que honram e santificam?".

- “Papas, arcebispos e sacerdotes de todas as religiões que doutrinas pregastes e exemplificastes senão conseguistes converter o mundo aos preceitos da minha igreja, cuja substância, cujo espírito é: amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a vós mesmos?”.

- “Políticos, legisladores, sociólogos, que leis promulgastes que não estabeleceu na face da Terra a justiça veneranda que julga o rico com o mesmo rigor que condena o humilde, o pobre e o desamparado?”.

- “Governantes, estadistas, administradores, que uso fizeram do poder que lhes foram confiados para a melhoria das condições de vida e da educação desse povo tão carente e desorientado, pois agora os vejo como verdadeiros trapos humanos e isso me ofende, sobremaneira, pois todos me pertencem e, tem o mesmo direito do que qualquer um de estar em minha casa?”.

- “Juízes, advogados e jurados: como julgastes, absolvestes ou condenastes, que não recuperastes as consciências doentes ou transviadas?”.

- “Generais, almirantes e guerreiros, que fizestes derramar rios de sangue, porque batalhastes se não conseguistes estabelecer a paz entre os povos, nem entre vós mesmos?”.

- “Acadêmicos, professores, literatos e jornalistas: que pesquisastes, escrevestes e doutrinastes, se não fostes capazes de moldar a consciência da humanidade no caminho do amor, da honra e da virtude? Sim. Ó almas, ó cérebros que tivestes os destinos do mundo em vossas mãos e a infância e a juventude de todas as gerações sujeitas à luz do vosso saber e do vosso arbítrio; que uso fizestes da vossa faculdade de meditar e expor, de aconselhar e convencer de esclarecer e orientar? Se, afinal tendo voz sido os expoentes da moral que ensina e da força que governa, decorridos dois mil anos me apresentais todos os povos, todas as nações a deflagrarem a maior hecatombe de horror, sangue e morte, como jamais se abateu na face do Planeta Terra, a qual em verdade é um guerra, também contra mim e contra o Pai que me enviou para vos dizer: “Amai-vos uns aos outros como irmãos, amai-vos com eu vos amei”.

Os homens sempre terão que estar prontos para lutar em favor da verdade nem que para isso tenha que morrer. É o preço que temos que pagar, porém não vamos esperar nenhuma medalha, porque não fizemos nada além do que nosso próprio dever.

Hoje, nós vivemos no mundo dos grandes paradoxos, onde os homens se vangloriam de ter ido a Lua, ou termos mandado uma nave-robo para além das fronteiras do sistema solar, enquanto reina a miséria no planeta. Portanto é bom que se fixe em letras de fogo no cérebro: Os brasileiros necessitam urgentemente de uma conscientização profunda para o respeito à vida humana, animal, vegetal, mineral e outras formas de vida. E não há dúvida que a maior obrigação é a do Estado, em despertar os homens menos esclarecidos para essa verdade, antes que a Natureza nos destrua a todos.“Tudo será cobrado até o último centil”

leia mais
A maravilhosa Medicina Popular de Vermont-EUA

No estudo da história dos povos sempre se fez menção ao uso do vinagre de maçã como alimento indispensável para a saúde. Na Roma antiga, por exemplo, as famosas legiões romanas sempre tomaram o cuidado de transportar o vinagre em odres, pois sabiam da importância dessa dieta ácida, a qual tornava os soldados fortes, resistentes, e imunes aos ataques das doenças e fadiga. Hipócrates, o pai da medicina, recomendava o realinhamento dos corpos vertebrais(quiropraxia) para o perfeito funcionamento dos órgãos e dosagens de vinagre de maçã para manter a plenitude física, evitar doenças e rejuvenescer o corpo. Havia citações correntes na época em Roma, que se referiam aos “homens bebedores de vinagre”, os quais eram imunes às doenças e pareciam não envelhecer. No oriente e principalmente na China também era comum o uso do vinagre para evitar doenças e curar feridas.

Mais recentemente, conta-se que na França de 1721, quatro ladrões foram condenados ao insalubre trabalho de enterrar vítimas da peste negra que devastou a Europa. Mas, para surpresa de todos, nenhum deles foi contaminado por essa doença mortal. Essa façanha foi atribuída a um preparado especial que eles consumiam durante a tarefa, uma poção de alho macerado em vinagre de maçã que ficou conhecida como o vinagre dos “quatro ladrões”. Um tônico com esse nome ainda é vendido na França nos dias de hoje.

O vinagre de maçã natural constitui hoje uma alternativa maravilhosa para a manutenção da saúde, retarda o envelhecimento, provocado principalmente pelos radicais livres, evita a formação de placas de cristais de sais carbonatados, cristais de ácido úrico e matérias terrosas - todos agentes endurecedores danosos dos tecidos organicos em geral - favorece a longevidade e uma boa qualidade de vida. Atualmente, há dezenas de trabalhos e pesquisas cientificas em Universidades e centros de pesquisas nos Estados Unidos, Europa, e também no Brasil, sobre a atuação do vinagre de maçã vivo no corpo humano. Muitos livros já foram editados e, atualmente há vários sites na internet sobre o assunto.

O Doutor DC JARVIS, famoso médico naturalista norte-americano, e suas descobertas maravilhosas sobre o Vinagre de Maçã Natural e a Medicina Popular do Vermont-USA.

Segundo o doutor D.C. Jarvis, que se tornou querido pelo esforço de ir ao encontro das necessidades do povo, escrevendo livros de medicina popular, afirma em seu famoso livro, best seller, “ Folk Medicine – A Vermont Doctors Guide to good Health” , que as enfermidades como: artrite, osteoporose, reumatismo, pressão alta, gota, bursite, artrose, arteriosclerose, enfartos, derrames, fadiga crônica, dores de cabeça crônica, diabetes, varizes, rinites, e outras doenças, etc, têm a mesma origem: acúmulo de cálcio no sangue.

O doutor Jarvis pesquisou durante muitos anos o modo de vida e dieta dos vermonteses, onde o vinagre de maçã natural é parte integrante da sua tradição. Os costumes dos vermonteses tem sido transmitidos de pai para filho durante gerações. Nascido no Vermont, estado do nordeste americano, depois de formado em medicina clássica, retornou ao seu antigo habitat no convívio com os velhos camponeses vermonteses a fim de aprender, como ele mesmo afirma, a medicina dos seus antepassados, que alinha um conhecimento de leis naturais antiqüíssimas aos fatos reais da vida. O estilo de vida dos Vermonteses chamou a atenção de muitas outras pessoas interessadas em aprender na prática como lidar com as mais diversas doenças apelando para os recursos da própria natureza.

Em suas observações e experiências chegou a conclusões seguras e revolucionárias: começou verificando que as chaleiras onde se fervem água, formam com o tempo, dura camada no fundo – resultado da precipitação de sais, cloretos, etc., e que, essa crosta, sob o efeito de vinagre de maçã, se dissolve, deixando a chaleira como nova. Igualmente comprovou que, mergulhando cascas de ovos em líquido de vinagre de maçã, estas se dissolvem lentamente. Investigou ademais, na localidade de Vermont-EUA, que pessoas que usavam o vinagre de maçã, eram muito mais saudáveis que as demais, e pareciam imunes as enfermidades e apresentavam uma extraordinária resistência física. Observou, nessa mesma localidade do Vermont, pessoas com mais de 70 anos, algumas com mais de 90 anos de idade, trabalhando nas roças horas a fio sem apresentar grandes esforços, demonstravam vigor, bom ânimo, uma bela postura e excelente formação óssea, e diziam não adoecer. Inteirou-se também, que esses camponeses costumavam dar às vacas o vinagre de maçã misturado na água, fato que o levou a efetuar estudos e investigações, chegando a conclusões surpreendentes: vacas envelhecidas prematuramente, tomando porções de vinagre de maçã, rejuvenesciam; outras de mais de dez anos, que já não davam mais leite, voltaram a produzi-lo depois de três meses de tratamento. Verificou também, que os pintinhos tratados com líquido de vinagre de maçã misturado à água, tornavam-se resistentes às doenças e tinham altura e peso quase uma vez e meia que o normal e apresentavam uma bela e resistente pelugem. Por outro lado, inteirou-se também que os cavalos dessa região, tratados com o vinagre de maçã, eram muitos mais fortes e resistentes que outros não tratados com o vinagre, não demonstrando cansaço nas corridas, tinham uma vida mais longa que o normal e apresentavam um brilhante e sedoso pêlo. Por sua vez, as vacas, que por algum motivo, não podiam mais se tornar prenhez, depois de um tratamento com o vinagre de maçã na sua ração, que durava algumas semanas se engravidavam e no verão nascia um lindo bezerro. Os próprios fazendeiros vermonteses que se viam impossibilitados de engravidar suas mulheres, repetiram o tratamento feitos com os animais e logo se tornaram pais.

Observou também o Dr. Jarvis, que animais levados ao corte, os quais estavam recebendo tratamento à base de vinagre de maçã em sua ração diária, demonstraram uma perfeita consistência óssea e a medula de uma bela cor vermelha, indício de abundância de glóbulos vermelhos. Desse modo, e por outras vias, o doutor Jarvis chegou à conclusão de que o mesmo sucede com o corpo humano quando se toma o vinagre de maçã natural com água e mel, já que ele possui a faculdade de dissolver o cálcio excedente acumulado no organismo, permitindo que, ao absorvê-lo, os ossos se tornem mais fortes, menos expostos às fraturas e, sobretudo, em condições de ajudar na formação de tecidos mais elásticos, flexíveis, em favor do rejuvenescimento.

Assim, o mencionado médico fundamentou sua teoria no seguinte: nosso sangue pode ser de formação ligeiramente ácida ou alcalina. Isso depende em grande parte, da alimentação que habitualmente ingerimos. Aponta ele outros motivos: diz, por exemplo, que o clima frio, favorece o aumento de alcalinidade do sangue; que as preocupações, o medo, a ira, bem como toda a atitude e comportamento emocional negativo têm o mesmo efeito. Desse modo, contribuímos para o aumento da alcalinidade sanguínea, desregulando o pH do sangue.(ver no ícone: “Informações” neste site, a definição do conceito de pH). Uma reação do sangue excessivamente alcalina favorece a vida das bactérias perigosas. Elas vivem e proliferam num meio alcalino em torno de 7,2 a 7,8 na escala de PH. Além dessa alcalinidade excessiva provocar depósitos de cristais endurecedores. Dependendo da região do corpo onde estes cristais se alojarem provocarão no decorrer do tempo doenças ou disfunções orgânicas e necroses de tecidos. Quando eles se depositam nas juntas ou articulações, provocam a artrite, bursite, etc.

Por outro lado, recomenda o referido médico, a necessidade da atividade física prazerosa, pois aponta que o sedentarismo contribui para o aumento da alcalinidade ou o espessamento do sangue. Diz, por exemplo, que é favorável que o sangue seja fluídico, fino e brilhante, para que regue todo o organismo sem dificuldade alguma e não provoque precipitação de flócos de cálcio pelo corpo.

O consumo abundante de farinha de trigo refinada, açúcar refinado, carnes, enlatados, cremes, refrigerantes, doces, etc, são prejudiciais à saúde porque contribui para o aumento da alcanilidade; torna o sangue mais espesso e dificulta a circulação pelo sistema, aumentando a pressão arterial das veias e vasos, os quais com o tempo, vão se obstruindo e endurecendo, porque a alcanilidade favorece os depósitos de cálcio e de outras substâncias terrosas danosas ao sistema.

Afirma o doutor Jarvis que a grande maioria das doenças tem como veículo o próprio sangue impuro, que distribui e deposita constantemente substâncias mortais pelo sistema ao longo dos anos. A purificação do sangue é de fundamental importância para reverter esse processo de endurecimento e envelhecimento precoce das várias estruturas moles do corpo e o secamento ou calcificação das articulações.

Em suas experiências, o doutor Jarvis percebeu o valor extraordinário do vinagre de maçã “vivo” no tratamento e prevenção de doenças, chegando a conclusões surpreendentes e esclarecedoras. Notou a relação intima do potássio contido no vinagre de maçã natural com a saúde. A medicina popular do Vermont sustenta que o potássio é o mais importante dos minerais – o mineral dos “deuses”. O que o cálcio é para os ossos, o oxigênio para os pulmões, é o potássio para o sistema nervoso. O potássio é tão necessário à vida de qualquer ser, que sem ele não haveria vida. Ele é a ponte bioquímica que atrai os nutrientes para dentro das células. Esse mineral nunca é encontrado isolado, está sempre associado a um ácido: observou, por exemplo, que o cálcio é solúvel quando em contato com um ácido como o do vinagre de maçã. Por outras vias concluiu então, que o cálcio se precipita em meio alcalino e se dissolve em meio ácido. O cálcio excedente é um dos principais agentes endurecedores e obstrutores.

A literatura médica nos diz que toda a gama de reação fisiológica do líquido extracelular tende para a alcalinidade. O sangue representa um quarto do líquido extracelular. O sangue tem sempre uma reação alcalina. Se esta alcalinidade for aumentada, ele engrossa e precipita os seus sólidos em pequenos flocos, formando os depósitos de cálcio. As paredes dos pequeninos vasos arteriais permitem a passagem da parte fluídica do sangue, da mesma forma que a tinta passa através do mata-borrão. Os pequeninos coágulos obstrui alguns capilares e, depois de algum tempo, há uma retenção de sangue, com o conseqüente aumento da pressão arterial e posteriormente deposição de cálcio e outras substâncias minerais.

Por outro lado, têm-se inúmeras provas de que o potássio controla o aproveitamento do cálcio no nosso organismo. Tomando o vinagre de maçã natural carregado de potássio apressa-se a consolidação ou o fortalecimento de um osso fraturado ou desmineralizado. A falta de potássio na dieta compromete a estatura dos indivíduos, sua ausência também provoca o enrijecimento da musculatura, das partes moles do corpo, os cabelos caem, a pele enruga, as unhas se quebram, as artérias se entopem e perdem sua elasticidade ou flexibilidade, e os ossos se desmineralizam e enfraquecem.

Através da dieta ácida do vinagre de maçã natural observamos que se a urina estava alcalina fica ácida, aliás, o ideal é manter sempre o pH da urina ligeiramente ácido (em torno de 6,4 pH), pois a dieta alcalina indica que os fluidos do corpo, principalmente o sangue, estão se espessando. O sangue faz uma volta completa no corpo humano em 23 segundos, e ele está então impregnado de ácido. Inundando o seu sangue com um ácido como o vinagre de maçã natural e seu potássio contido, fará com que qualquer depósito de cálcio se desfaça e circule de novo para depois ser eliminado pela urina principalmente. Esse método, repetido todo dia, livrará de depósitos calcáreos os canais circulatórios em pouco tempo.

A água da torneira é a mais poderosa fonte de substâncias endurecedoras e obstrutoras do nosso corpo. Esse líquido vem carregado de substâncias terrosas e outros sais que entram em contato com o sangue e posteriormente se alojam em quase todos as partes moles e articulações do corpo. Notamos esse fenômeno de obstrução, quando observamos o interior dos encanamentos de uma residência, principalmente o cano do chuveiro, que pode ficar completamente entupido com uma substância esbranquiçada - que são os depósitos calcáreos provenientes da passagem da água pelo cano. Felizmente, graças ao nosso sistema excretor que expele continuamente esses resíduos, nosso corpo se livra muito dessa carga mortal, pois, caso contrário, nos transformaria numa estátua de pedra em dez anos.

Por outro lado, a melhor água para se tomar é a água de chuva, de neve derretida, ou a água destilada carregada com a energia solar, essas águas estão livres de matérias terrosas obstrutoras. A águas da chuva ou da neve é carregada de energia vital. Saber ingerir uma água saudável é ponto importantíssimo para a manutenção da saúde durante toda a vida, principalmente para quem já apresenta algum tipo de doença, como o reumatismo, por exemplo. A água pública tratada pelo processo de sedimentação, não elimina os resíduos químicos altamente danosos ao nosso corpo. Isso só é possível através da destilação. Depois da água destilada, a água obtida pelo processo de osmose reversa, é a que mais se aproxima da água ideal.

Ao mesmo tempo, os nutrientes obtidos através da nossa alimentação diária, ao serem metabolizados geram cinzas ou matérias terrosas que devem ser também eliminadas pelo sistema excretor. Essas substâncias terrosas obstrutoras, ou sais carbonatados, a base de cálcio, isto é, matérias calcáreas já descritas, circulam livremente pelo organismo depositando sua carga mortal pelos prolongamentos de veias, artérias, órgãos e articulações. A contínua deposição de materiais não eliminados são a causadora da grande maioria das doenças, como pedras nos rins, tromboses, derrames, enfartos, anginas, pressão alta, artrites, arteriosclerose, hemorróidas, varizes, obesidade, diabetes, artroses, bursites e muitas outras doenças cuja origem está no sangue impuro, carregado de sustâncias terrosas. É por isso que o coração se vê obrigado a trabalhar mais, pois o sangue espesso, excessivamente alcalino, dificulta a circulação do fluido pelo corpo. Todo mundo sabe que a calcificação é o maior inimigo do homem ao envelhecer.

Voltando para a medicina popular do Vermont, aprofundaremos um pouquinho mais sobre a relação do vinagre de maçã natural com o potássio e o sódio, assim é preciso saber que o líquido contido nas células orgânicas representa 50% do peso do corpo. O fluido sanguíneo equivale a 5%. O que se localiza entre os vasos sanguíneos e as células representam 15% do peso do corpo. Dessa forma, temos 50% do fluido orgânico dentro das células e 20% fora delas. Tanto o potássio quanto o sódio tem por função atrair líquido. O potássio, no interior das células orgânicas, tem a incumbência de atrair líquidos para dentro delas. O sódio, fora das células orgânicas, puxa-os para seu lado. Dessa forma o potássio e o sódio vivem num duelo contínuo pela obtenção de seus líquidos. Saber equilibrar a relação sódio-potássio é garantir plena saúde pela vida afora - e os ácidos benéficos do vinagre de maçã natural nos ajuda nessa tarefa.

O doutor Gabriel Cousens, autor do livro: “Comer consciente”, recomenda o vinagre de maçã natural para a manutenção da saúde vital do corpo e para o seu equilíbrio ácido-alcalino. Pesquisas recentes da universidade do estado da Califórnia - USA, feita pela equipe do doutor Barry Reisberg, descobriu que os analgésicos ibuprofeno e naproxeno poderiam dissolver e prevenir a formação da placa obstrutora, que acredita-se, mata os neurônios dos portadores do mal de Alzheimer, apesar dos efeitos colaterais decorrentes. Entretanto, o doutor D.C. Jarvis há mais de setenta anos, já tinha investigado os depósitos de cálcios e matérias terrosas como a causa das doenças e como o vinagre de maçã natural pode dissolver essas cristalizações danosas.

Extraído do Livro: “Folk Medicine”: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health. Dr. DC Jarvis, médico norte-americano, 1960.

leia mais
A Medicina Popular de Vermont e a dor de cabeça crônica

Segundo a Medicina Popular do Vermont, as dores de cabeça crônicas são atribuídas aos olhos, ao estômago, aos rins, ao fígado e a sinusite.

Há diversos tipos de dor de cabeça crônica. Algumas são associadas as moléstias orgânicas, como as dos rins. Outras são conhecidas como psicogênicas – resultantes de tensão. Nessas, as responsáveis são as emoções: ódio, medo, ansiedade. A mais aborrecida de todas é a enxaqueca.

As enxaquecas são hereditárias e afetam pessoas de um determinado tipo físico. São pessoas de grande energia e inteligência lúcida. São também sensíveis e compreensivas. Além disso, são irrequietas, autoritárias, agressivas e ambiciosas. Já ouvi dizer que a enxaqueca é “o preço que o homem paga pelas suas ambições”.

Há uma tendência, mesmo entre os médicos, de classificar toda a dor de cabeça de origem desconhecida como enxaqueca. Os sintomas clássicos são bem determinados. A vítima tem uma “aura” ou aviso, antes de ela se declarar. Vê, diante dos olhos, manchas ou raios de luz. A dor ataca de um lado da cabeça e há geralmente náuseas ou outras perturbações digestivas.

As emoções, temores e ansiedades desencadeiam o processo da enxaqueca. A medida que os anos passam, elas diminuem. É muito raro alguém sofrer de enxaqueca depois dos sessenta anos. Isso se deve, provavelmente, ao fato de que as pessoas se tornam mais calmas e ajustadas às circunstancias a medida que envelhecem.

Estudei a enxaqueca muitos anos, com a cooperação de pessoas que sofriam dela. Procurei apurar se a enxaqueca aparecia quando havia uma reação urinária ácida ou alcalina. Quando a urina estava ácida, as enxaquecas era menos freqüentes, mais brandas, ou desapareciam. As pessoas que sofrem desse mal precisam conhecer os fatores que alcalinizam a sua urina e então combate-los.

A ingestão diária de ácido deve ser aumentada, sob a forma de vinagre de maçã natural. É fácil e eficaz. Duas colheres de chá de vinagre de maçã, às refeições, poderão evitar uma crise. Se a dor já se tiver manifestado, porém, tome imediatamente uma colher de vinagre de maçã. Uma vez que este não exige uma digestão lenta e logo entra na corrente sanguínea, a enxaqueca abrandará meia hora depois. Se não abrandar, tome outra dose, e assim até que a dor cesse. Efeito sedativo, é só o que pedem os agentes deste tipo de dor.

A medicina popular do Vermont recomenda outra aplicação de vinagre de maçã contra a enxaqueca: a vaporização – partes iguais de vinagre de maçã e água; deixe ferver em fogo lento. Quando começar a desprender vapores, curve a cabeça sobre o vapor, enquanto puder suportar. Aspire 75 vezes. A dor diminuirá a partir de meia hora depois. Se voltar, será branda. Isso dispensa os analgésicos.

O tratamento acima é indicado para qualquer tipo de dor de cabeça. É bom ressaltar que nesses casos o individuo não está atentando para uma questão de fundamental importância que se relaciona com sua dieta pobre em elementos vitais. Geralmente as dores de cabeça advém pela comida, quer o excesso ou a sua má qualidade. Esses hábitos alimentares errôneos provocam a corrupção do sangue e sua excessiva alcalinização. Como consequência, além de outros males, provoca a dor de cabeça. Há a necessidade de reorientação alimentar. Cessada a causa, cessa o efeito.

Extraído do Livro: “Folk Medicine”: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health. Dr. DC Jarvis, médico norte-americano, 1958.

leia mais
A obesidade e o emagrecimento segundo a Medicina Popular de Vermont

A obesidade é hoje uma pandemia mundial alarmante, pois morre-se mais pessoas no mundo de doenças decorrentes do excesso de comida do que aquelas que passam fome. Entretanto, a obesidade é tratada no Vermont com o vinagre de maçã natural que elimina o excesso de gorduras naturalmente. Assim, “é possível emagrecer fiando-se na fita métrica, não, porém na balança”. É que as alterações sofridas pela estrutura óssea e pelos tecidos orgânicos, inclusive os músculos, podem contrabalançar a perda da gordura. Quando o peso de uma pessoa excede do normal, pode bem ser devido a uma quantidade excessiva de materiais assimilados e depositados como gordura, e evidentemente, a uma vida sedentária. Há diversos modos de saber se o peso está normal. No Vermont se diz o seguinte: “a medida da base do pescoço deve ser duas vezes a do pulso. A medida da cintura é o dobro da medida do pescoço”.

Se a medida da cintura for maior do que a do tórax ou se houver propensão para a papada, a medicina regional do Vermont lança mão do vinagre de maçã natural para eliminar o excesso de gordura, pois o vinagre de maçã natural atua de maneira rápida no organismo, mudando a temperatura das gorduras adicionais e fazendo com que se queimem dentro do organismo, sendo eliminadas em seguida pela urina e fezes.

Afirma o doutor Jarvis que é indispensável uma dieta integral, com a ingestão de alimentos “vivos” e em quantidades adequadas, evitando a gula. Uma disciplina alimentar é um dos mais eficientes ingredientes para a felicidade, pois ninguém pode fazer nada com o corpo doente.

Assim, se um homem tiver o abdômen saliente, voltará ao normal no espaço de dois anos. O vinagre de maçã terá tornado possível a eliminação da gordura, em vez do seu armazenamento e o conseqüente aumento de peso. O vinagre de maçã natural é um complemento maravilhoso nas dietas de emagrecimento. Cumprido diariamente, este tratamento contra a obesidade, que além de simples é muito eficaz, plenamente natural e saudável; em dois anos o corpo volta adquirir o peso ideal, garante o Dr. Jarvis.

Mais informações sobre a obesidade e o emagreciment,. segundo a Medicina Popular do Vermont-USA

Maçãs e vinagre de maçã, feito da própria fruta, são boas fontes de pectina, que dá a sensação de saciedade, diminuindo o apetite. Provou-se que o consumo de vinagre de maçã ajuda na perda de peso mais efetivamente do que comendo maçãs cruas apenas. Geralmente, ácidos ajudam na digestão da proteína que é usada na construção de alguns de nossos hormônios, especialmente hormônio do crescimento. Este hormônio é um instrumento para quebrar células de gordura. Aumentando-se o ácido presente no estômago antes das refeições, você assegura uma digestão completa e aumenta a disponibilidade da proteína para a síntese do hormônio.

Proteína é necessária para a produção de insulina, que é necessária para converter glicose em energia e manter um metabolismo ativo, queimando gorduras. Novamente o vinagre de maçã pode aumentar o seu metabolismo, aumentando a habilidade do corpo de utilizar proteínas para a formação de insulina.

Porque vinagre de maçã estimula a digestão, ele também diminui o período de tempo que a gordura fica no trato digestivo, assim menos gordura será absorvida.

Vinagre de maçã melhora a absorção de ferro, um nutriente que age como uma ignição, uma espoleta. O ferro é um componente chave em substâncias que carregam o oxigênio para as células e o mantém lá. Ácidos (como o ácido acético, ácido málico, encontrado no vinagre de maçã) ajudam a liberar o ferro do alimento que você come e torna-o mais disponível para ajudar na construção da hemoglobina (carregadora de oxigênio) e mioglobina (que atrai o oxigênio). Oxigênio é essencial para produzir energia no corpo como é essencial o fogo para acender uma lareira. A capacidade do vinagre de maçã de aumentar a utilização do ferro e de aumentar o consumo de energia do corpo que o torna um alimento de suporte extraordinário na perda de peso. A fórmula para esse processo é assim: “absorção de ferro - utilização do oxigênio - consumo de energia - perda de peso”.

O vinagre de maçã age no começo do processo da digestão, estimula o seu apetite e aumenta seu interesse por comidas integrais. Vinagre de maçã é conhecido como acentuador de sabor. É o ingrediente secreto do ketchup, molhos de saladas e outros condimentos, tornando mais palatável os sabores extraordinários dos alimentos integrais como as frutas, vegetais, grãos integrais, feijões, - alimentos que ajudam a regular o nível de açúcar no seu sangue e aumenta seu metabolismo. O vinagre de maçã também faz diminuir sua vontade de excesso de sal e gordura.

leia mais
Aquela beleza que nos vem do interior

Uma tez fresca, uma pele lisa e cabelos brilhantes, quem desejaria ignorá-los? Mas, como o tempo cada um deve cuidar de si mesmo de modo a permanecer na melhor forma possível. Para manter uma beleza natural, todavia, não devemos cuidar apenas do aspecto exterior, mas também do interior. Uma alimentação saudável, rica em vitaminas, em minerais e fibras, continua a ser indispensável. Sem contar que devemos movimentar-nos e dormir o suficiente. O consumo de vinagre de maçã estica a pele e fortalece os cabelos.

Beba pela manhã, com o estômago vazio, um copo de 250ml de água, 5ml de vinagre de maçã e mel para estimular o seu metabolismo.

Os cuidados externos do corpo dizem respeito, sobretudo à pele. Esta é protegida dos ataques dos microorganismos e das agressões ambientais por uma película protetora. Devido à sua ligeira acidez, que corresponde ao pH da nossa pele, o vinagre de maçã adapta-se perfeitamente a uma utilização externa.

Antigamente, não se utilizava de tantos produtos para os cuidados com a pele e a maquiagem como hoje as mulheres fazem. O aspecto e a beleza da pele era atributo de uma boa alimentação e cuidados externos, principalmente, com o uso de vinagre de maçã e óleos naturais. A beleza da pele, dos cabelos, era uma condição de boa saúde e atividade física.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
As bactérias patogênicas de reação alcalina e a dieta ácida do Vinagre de Maçã Natural

Torna-se evidente ao se estudar a lista de microorganismos perniciosos ao nosso organismo que todos eles tem uma reação alcalina. As reações alcalinas dessas pequenas criaturas variam em torno de 7,2 a 7,8 pH. Isto é particularmente interessante à luz da evidência de que tanto nas vacas leiteiras quanto nos seres humanos, há um instinto que os leva a procurarem ácidos. Diante das provas cientificas, parece razoável concluir que as bactérias patogênicas existem para outros fins que não a de causar moléstias aos seres humanos. A Natureza foi pródiga na distribuição da vegetação ácida, aparentemente com o fito de prevenir a invasão de microorganismos no corpo, ocasionando infecções. O instinto que leva os animais e os seres humanos a procurar vegetação ácida e líquidos ácidos foi-nos dado com proteção.

A medicina popular do Vermont tem feito profundas observações sobre a absorção e a eliminação de fluídos pelas células orgânicas: absorção é chamada de hidratação, e a eliminação, desidratação. No caso de ataque de bactérias, o que ocorre é que as bactérias, necessitando umidade para se manter, tiram-na das células orgânicas. Mas se houver nestas, quantidades suficientes de potássio, será ele que tirará umidade das bactérias desidratando-as.

leia mais
Banhos

Hoje em dia, quando tomamos um banho, é mais para descontrair e cuidar de nós do que para nos lavarmos. Na banheira, relaxe, feche os olhos e abandone-se às delícias da água quente.

Nada há de mais simples do que acrescentar um pouco de vinagre de maçã ao seu banho e o resultado é garantido: estimula a regeneração da pele e a película protetora.

  • Não tome um banho demasiado quente. Permaneça na banheira tanto tempo quanto isso lhe for agradável.

  • Usa-se 1 a 2 copos de vinagre de maçã para uma banheira cheia e deixe-se ficar durante 15 minutos.

  • Poderá adicionar plantas medicinais ao seu banho também. A erva-cidreira, a alfazema e o lúpulo possuem propriedades calmantes, o alecrim revigora.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Compreendendo melhor o conceito de pH

O metabolismo celular produz ácidos que são lançados, continuamente, nos líquidos intracelular e extracelular e tendem a modificar a concentração dos íons hidrogênio. A manutenção da concentração dos íons hidrogênio dentro da faixa ótima para o metabolismo celular, depende da eliminação do ácido carbônico nos pulmões, da eliminação de íons hidrogênio pelos rins e da ação dos sistemas tampão intra e extracelulares.

O modo como o organismo regula a concentração dos íons hidrogênio (H+) é de fundamental importância para a compreensão e a avaliação das alterações do equilíbrio entre os ácidos e as bases no interior das células, no meio líquido que as cerca (líquido intersticial) e no sangue (líquido intravascular).

Conceito ácido e básico

Os elementos importantes para a função celular estão dissolvidos nos líquidos intra e extracelulares. Sob o ponto de vista químico, uma solução é um líquido formado pela mistura de duas ou mais substâncias, homogeneamente dispersas entre si. A mistura homogênea apresenta as mesmas propriedades em qualquer ponto do seu interior e não existe uma superfície de separação entre os seus componentes. A solução, portanto, consiste de um solvente, o composto principal, e um ou mais solutos. Nos líquidos do organismo a água é o solvente universal; as demais substâncias em solução constituem os solutos.

Em uma solução, um soluto pode estar no estado ionizado ou no estado não ionizado. Nos líquidos do organismo, os solutos existem em ambas as formas, em um tipo especial de equilíbrio químico.

Quando um soluto está ionizado, os elementos ou radicais químicos que o compõem, estão dissociados uns dos outros; a porção da substância que existe no estado ionizado é chamada íon. O soro fisiológico, por exemplo, é uma solução de água (solvente) contendo o cloreto de sódio (soluto). Uma parte do cloreto de sódio está no estado dissociado ou ionizado, constituída pelos íons Cl- (cloro) e Na+ (sódio), enquanto uma outra parte está no estado não dissociado, como NaCl (cloreto de sódio); ambas as partes estão em equilíbrio químico.

Existem substâncias, como os ácidos fortes, as bases fortes e os sais, que permanecem em solução, quase completamente no estado ionizado. Outras substâncias, como os ácidos e as bases fracas, ao contrário, permanecem em solução em graus diversos de ionização. A água tem sempre um pequeno número de moléculas no estado ionizado.

Os íons combinam-se entre si conforme a sua carga elétrica. Os cátions são os íons com carga elétrica positiva, como o hidrogênio (H+) e o sódio (Na+). Os ânions são os íons com carga elétrica negativa, como o hidróxido ou hidroxila (OH-) e o cloreto (Cl-). Para ser um ácido, é necessário que a molécula da substância tenha, pelo menos, um hidrogênio ligado ionicamente. O hidrogênio ionizado, simplesmente representa um próton. Um ácido é uma substância que, em solução, é capaz de doar prótons (H+). Uma base é uma substância que, em solução, é capaz de receber prótons.

Em outras palavras, os ácidos são substâncias que, quando em solução, tem capacidade de ceder íons hidrogênio; as bases são substâncias que, quando em solução, tem capacidade de captar íons hidrogênio.

Um ácido forte pode doar muitos íons hidrogênio para a solução, porque uma grande parte das suas moléculas se encontra no estado dissociado (estado iônico). Do mesmo modo, uma base forte pode captar muitos íons hidrogênio de uma solução.
O pH – Potencial de hidrogênio

A atividade dos íons hidrogênio em uma solução qualquer, depende da quantidade de hidrogênio livre na solução. Para a avaliação do hidrogênio livre nas soluções, usa-se a unidade chamada pH. O termo pH significa potência de hidrogênio e foi criado para simplificar a medida da concentração de íons hidrogênio (H+) na água e nas soluções. A água é a substância padrão usado como referência, para expressar o grau de acidez ou de alcalinidade das demais substâncias. A água se dissocia em pequena quantidade em íons hidrogênio (H+) e hidroxila (OH-).

Quando se adiciona ácido à água, mesmo em pequenas quantidades, o pH da solução se altera rapidamente. O mesmo fenômeno ocorre com a adição de bases. Pequenas quantidades de ácido ou de base podem produzir grandes alterações do pH da água.

Se adicionarmos ácido ou base ao plasma sanguíneo, veremos que há necessidade de uma quantidade muito maior de um ou de outro, até que se produzam alterações do pH. Isto significa que o plasma dispõe de mecanismos de defesa contra variações bruscas ou significativas do pH. O balanço entre os ácidos e as bases no organismo se caracteriza pela busca permanente do equilíbrio; o plasma resiste às alterações do pH, por meio de pares de substâncias, capazes de reagir tanto com ácidos quanto com bases, chamadas sistemas "tampão". Os mesmos mecanismos de defesa existem nos líquidos intracelular e intersticial.

Valores normais de pH

A água é o solvente universal dos líquidos orgânicos; a sua concentração de hidrogênio livre ou ionizado é utilizada como valor de comparação para as demais soluções. O pH normal da água, considerada um líquido neutro é 7. As soluções com pH inferior a 7 são consideradas ácidas e as soluções com pH superior a 7 são consideradas alcalinas.

Os líquidos orgânicos são constituídos de água contendo uma grande quantidade de solutos de diversas características químicas e iônicas. A solução orgânica padrão para a avaliação do pH é o sangue. O pH normal do sangue varia dentro da pequena faixa de 7,35 a 7,45. Em comparação com a água, portanto, o sangue normal tem o pH levemente alcalino. Essa alcalinidade do sangue representa a atividade iônica de numerosas substâncias incluindo-se os sistemas tampão.

O sangue arterial é o padrão habitual para avaliação do pH; seu valor se situa na porção mais alcalina da faixa normal, entre 7,4 e 7,45. O sangue venoso tem maior concentração de hidrogênio livre, recebido do líquido intersticial pelos capilares venosos. Em conseqüência, o pH do sangue venoso se situa na faixa menos alcalina do pH normal, geralmente entre 7,35 e 7,40.

As principais alterações do pH do sangue estão representadas na figura 4. Quando o pH do sangue está abaixo de 7,35 existe acidose; se o pH do sangue é superior a 7,45, existe alcalose.

Quando a acidose é severa e o pH alcança valores abaixo de 6,85, em geral as funções celulares se alteram de tal forma que sobrevém a morte celular; o distúrbio é irreversível. Do mesmo modo, na alcalose severa e persistente, os valores de pH superiores a 7,95 são incompatíveis com a normalidade da função celular. O distúrbio é irreversível e, em geral, ocorre a morte celular.

O interior das células reflete uma realidade metabólica diferente do plasma sanguíneo. A atividade celular gera permanentemente subprodutos ácidos como resultado de numerosas reações químicas. Em conseqüência, o pH habitual do líquido intracelular é mais baixo que o pH do plasma. O pH intracelular é de aproximadamente 6,9 nas células musculares e pode cair a 6,4 após um exercício extenuante. Nas células dos túbulos renais, o pH é de cerca de 7,3, de acordo com a predominância de substâncias alcalinas, podendo se alterar com as necessidades do organismo. Em geral, as células dos tecidos com maior atividade metabólica têm um pH levemente ácido, em relação ao pH do sangue.

Conclusão

O metabolismo celular produz ácidos que tendem a modificar a concentração dos íons hidrogênio nos líquidos do organismo. A manutenção da concentração ideal de íons hidrogênio depende da ação de ácidos e bases existentes nos líquidos, da eliminação de ácido carbônico pelos pulmões e da eliminação de íons hidrogênio pelos rins. Os ácidos são as substâncias que podem ceder íons hidrogênio para uma solução; bases são as substâncias que podem receber íons hidrogênio em uma solução.

A quantidade de íons hidrogênio livres nas soluções é quantificada pelo pH. Quanto maior a quantidade de íons hidrogênio nas soluções, tanto mais baixo será o seu pH; ao contrário, as soluções com baixa concentração de íons hidrogênio, tem o pH mais elevado. A água é a substância padrão para comparação com as demais substâncias. A dissociação da água é desprezível; apenas uma molécula, em cada 10 milhões, se dissocia. A água é, portanto, uma substância neutra, ou seja, não é ácido nem é base. O pH da água é 7; a água ocupa o ponto neutro da escala do pH, que vai de 0 a 14. As soluções com pH inferior ao da água, são consideradas ácidas; as soluções cujo pH é superior a 7, são consideradas bases.

O pH do sangue reflete a atividade iônica de numerosas substâncias e é ligeiramente maior que o pH da água. O sangue normal tem o pH que varia entre 7,35 e 7,45. O sangue normal, portanto, é levemente alcalino, em relação à água.

Quando o pH do sangue está abaixo de 7,35 dizemos que existe acidose; quando o pH do sangue supera o valor de 7,45, dizemos que há alcalose.

Extraído das pesquisas do Centro de Estudos de Circulação Extracorpórea Perfusion Line

leia mais
Creme de iogurte e de vinagre de maçã
  • 3 colheres de sopa de iogurte natural
  • 1 gema de ovo
  • 1 colher de sopa de natas frescas
  • 1 colher de sopa de mel
  • 1 colher de café de vinagre de maçã
  • 1 colher de café de sumo de tomate

Misture o iogurte, as natas e a gema de ovo com o vinagre de maçã e o sumo de tomate. Aqueça o mel até ficar liquido e junte. Mexa até misturar bem. Aplique este creme no rosto e no corpo, à noite.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Cristais tóxicos podem provocar artrite, endurecimento do corpo, fazendo suas juntas rangerem

“Nós somos nossos melhores médicos”

O rangido que você ouve quando movimenta o pescoço, são depósitos de cristais tóxicos, principalmente a base de cálcio, que se acumularam na parte superior do osso da sua espinha, o Atlas. O vinagre de maçã dissolve essa cristalização ou sujeira tóxica que foram acumuladas nas juntas dos ossos, nas partes moles e no sistema cardiovascular do corpo.

Uma alimentação integral aliada a exercícios regulares e moderados, combinados com uma dieta de frutas e folhas cruas, contribui para a manutenção de uma boa saúde.

A dieta ácida do vinagre de maçã natural ajuda extraordinariamente a dissolver e eliminar esses cristais endurecedores, matérias terrosas e cinzas, produtos do metabolismo, que se acumulam nas delicadas estruturas moles do corpo, principalmente nas articulações e no sistema vascular. A saúde melhora extraordinariamente, a pessoa tem um sentimento de rejuvenescimento gradual que vai substituindo o sentimento de endurecimento e envelhecimento prematuro do corpo. A pessoa sente mais flexível, sem dores, e com as articulações mais soltas.

Esses cristais tóxicos a base de cálcio causam o envelhecimento precoce, ou a esclerose dos tecidos. A formação dessas placas pelo corpo, dificultam os processos e funções orgânicos, levando a deteriorização da saúde e do bem estar depois de certo tempo.

Todo mundo, até mesmo a pessoa mais saudável deve lutar continuamente contra o acúmulo desses cristais mortais no corpo. O inimigo mais forte dos cristais é o coquetel de vinagre de maçã, mel cru e água destilada. Essa poderosa combinação coloca os esses cristais indesejáveis em solução, assim eles podem ser eliminados através dos rins e sistema excretor do corpo. As pessoas quando fazem uma caminhada, notam geralmente na camiseta, esses cristais, que são aquelas manchas brancas como se fosse sal. É um sinal da atuação da inteligência do corpo que luta desesperadamente para eliminar esses cristais não incorporados ou assimilados pela nossa biologia.

Nosso corpo sofre durante a vida um processo constante de endurecimento ou calcificação. Os químicos sabem que os ossos da criança ao nascer tem a proporção de 3 partes líquida por uma parte sólida na sua constituição, na velhice essa proporção se inverte para três partes sólidas e uma parte liquida.

Esses cristais têm um papel poderoso nesse processo de endurecimento ou desidratação do corpo. Se não fosse a ação do sistema excretor, em dez anos, nosso corpo se transformaria numa bela estátua de pedra. Pedras nos rins, calcificação nas juntas dos dedos, formigamento, pressão alta, derrames, e tantos outros sintomas podem ter uma única origem: deposição constante de cálcio pelo corpo.

Desde o início da história da humanidade, o homem, sempre foi vítima da ação desses cristais, pois, sempre fez uso da água para beber, e a água é a fonte mais importante de origem desses cristais endurecedores.

Porém, temos a opção de impedir a ação perniciosa desses cristais, nos precavendo, tomando diariamente uma ou mais doses de vinagre de maçã natural, mel cru e água destilada (a melhor), ou na falta desta, a água filtrada. Pode-se tomar o vinagre de maçã apenas com água. Pessoas com diabetes devem tomar o vinagre de maçã apenas com água.

Extraído do livro: “Apple cides vinegar – Miracle Healath System”, by Paul Bragg, Phd and Patrícia Bragg Phd

leia mais
Cuidados com o rosto

Para cuidar da pele do rosto, são necessários, na realidade apenas dois produtos: um de limpeza suave e um creme hidratante.

Em caso de problemas específicos (pele seca, oleosa, com tendência para borbulhas e pontos negros, com rugas), recomenda-se cuidados particulares.

A limpeza: A pele do rosto está particularmente exposta às agressões exteriores. Mas não deve apenas libertar-se das impurezas, é preciso também eliminar os resíduos do metabolismo e as células mortas da epiderme. Sem falar dos restos de maquiagem.

A limpeza desta parte do corpo deve ser profunda, sem ser, contudo agressiva. Utilize um sabão suave e neutro, leite de limpeza ou creme purificante.

  • Lave cuidadosamente o seu rosto com água quente, mas sem sabão.

  • Coloque um pano absorvente úmido e quente sobre a pele e deixe atuar durante alguns minutos.

  • Para terminar, mergulhe um tecido de linho ou algodão em água com vinagre de maçã fria (três colheres de sopa de vinagre de maçã em um copo com água), em seguida coloque-o sobre o rosto. Cubra-o depois com o pano absorvente úmido e quente. Deixe atuar durante cinco minutos.

  • Lave em seguida o rosto com água quente e esfregue com um pano úmido, para obter o efeito de peeling.

  • Para terminar, refresque-se com uma loção de vinagre de maçã.

Os cremes protegem e hidratam a pele. O vinagre de maçã estimula a irrigação sanguínea, representa um complemento ideal na elaboração de um creme ou de uma máscara destinada a aclarar a pele e a alisar o rosto.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Faça o teste com o Papel de Nitrazina (fita de Tornassol ou pH)

Ao acordar, a primeira coisa a fazer é medir o pH da urina com a ajuda da fita ou papel de nitrazina. Um índice de boa saúde é quando o pH da urina está em torno de 6,4 pH, ou seja, ligeiramente ácida. Subindo para valores acima de 7,0 o teste de pH indica que o sistema está com reação excessivamente alcalina predispondo aos indesejáveis depósitos de cálcio e matérias terrosas.

Recomendação: Afirma o doutor Jarvis, que três ou quatro meses é o tempo necessário para a atuação maravilhosa do vinagre de maçã natural sobre o sangue, purificando-o e dissolvendo o excesso de cálcio, e desobstruindo todos os canais e articulações do corpo.

leia mais
Ginástica na água, um bem para o corpo e a alma - Por Leandro Vion

A disciplina é a base fundamental de todas as coisas.

Entrar na água deve ser um ritual de reintegração com a Natureza; a vivência da água nos livra da solidão, daquela separação que sofremos ao nascer, quando fomos tirados do elemento aquoso onde estávamos albergados, nutridos, protegidos. É uma tranqüilização regressiva. Na água perde-se peso, você está flutuando, leve, tudo é muito mais fácil, você se solta e, é carregado pela água; é uma situação que exige menos consciência racional e mais intuição, e você tende ir ao devaneio, a calma e a autocompreensão..

Com o relaxamento o corpo tem facilidade em se curar e se resolver. A água tranqüiliza, você aprende a se entregar, aprende a ser você mesmo, e dominar a reatividade emotiva, que as vezes tanto nos faz sofrer. Entretanto, não é uma entrega passiva, mas um deixar-se levar consciente para permitir se descobrir a si mesmo através da fluição da própria sensibilidade e plenitude.

As terapias corporais, principalmente, as aquáticas, procuram levar o homem a reencontrar o sensorial, a basear-se nas sensações como fazem as crianças pequenas e os animais - sentir plenamente com o corpo, as emoções que a mente filtrou para o seu proprio bem, pois o corpo está sempre no presente e traz informações do momento, enquanto a mente sem foco pode vagar para o passado ou pelo futuro.

Cada parte do seu corpo sabe, cada parte do seu corpo como um todo vibra em uníssono com as outras, é a sabedoria do corpo, é a Sabedoria da Mãe Natureza, e o corpo é a obra divina mestra. Sinta com o corpo, enquanto a mente julga o que nos convém. A mente voltada para o negativo, para a desesperança, pode trazer a dúvida, e em conseqüência, a confusão, e a perda da fé. Um vento contrário pode até ajudar um barco ir para a frente, depende de quem está manobrando o leme. Na vida uma adversidade é apenas um empurrão para nos tirar da inércia que o Espírito se acomodou. Nossas dificuldades nos preparam para o bom exito na vida.

A benaventurança tem tres degraus, o primeiro é a crença, isto é, acreditar numa coisa que pensamos ser a verdade. O segundo degrau é a fé, ou seja, acreditar numa coisa que sabemos que é a verdade. E o terceiro degrau é a fluição, isto é, nós somos a própria verdade.

O corpo já sabe o que é preciso fazer em todas as situações, e a vivência na água, por si só, já é uma cura; ela tem esse poder mágico de nos colocar em contato com a nossa intimidade maior. Assim, ao entrar numa piscina, tenha sempre dentro de si, que isso não é meramente uma rotina, ou apenas uma aula de ginástica qualquer, mas uma atitude positiva de fluição e harmonia interior, um ritual. Isso exige respeito, dedicação e compreensão. A água permite a ligação com o sagrado dentro de nós. A reação do nosso corpo na água pode revelar aquilo que sentimos ou pensamos. Quando você cura a mente o corpo também se cura, e o inverso também é verdadeiro. A vida na água pode fazer esse milagre.

A origem da natação esta mesclada com a busca profunda do amor. “Lemos na mitologia clássica da Grécia, que o início da natação deu-se pelo amor que unia Leandro à sacerdotisa Hero. Leandro, que vivia em Ábidos(Ásia), nadava todas as noites 5400 metros para chegar a Sistos(Europa) e encontrar-se com Hero. A bela e jovem sacerdotisa ajudava-o na travessia acendendo uma chama no alto da torre e cobrindo a luz vacilante com seu manto quando o vento soprava. Certa noite, porém, esqueceu-se de proteger a chama e, ao acordar, viu o corpo de seu amante levado à praia pelas ondas. Leandro desorientou-se no mar e não conseguiu lutar contra as trevas e as iras de Netuno ao mesmo tempo. Desesperada, Hero atirou-se ao mar.” Leandro teria sido o primeiro nadador a realizar uma proeza atlética.

Essa história, demonstra também que o amor e o romantismo estão por trás das iniciativas dos humanos neste mundo.

A prática da atividade física prazerosa, a ginástica na água e a natação é uma ótima opção para manter o corpo animado, alegre, flexível, saudável, feliz.

leia mais
Informações adicionais

Há no vinagre de maçã natural mais de trinta elementos nutritivos fundamentais, mais de uma dúzia de sais minerais e enzimas essenciais e complexos vitamínicos. Ele é rico em fibras. Igualmente, encontra-se ferro, vitaminas B12, ácido fólico (bom no combate a anemia) e elementos antioxidantes, combatem os radicais livres que produzem a decrepitude do corpo. Possui qualidades anti-sépticas (mata os micróbios infecciosos) e antibióticas (contêm bactérias inimigas dos microorganismos deletérios). O vinagre de maçã natural extrai todos os minerais da maçã.

O vinagre de maçã natural é rico em sais de primeira importância para os processos bioquímicos do corpo; entre os quais o ácido málico , que entre outras funções, faz parte do chamado “ciclo de Krebs”, que sintetiza um conjunto de reações bioquímicas responsáveis pela produção de energia no interior das células. Ele ajuda também na absorção dos nutrientes e, ao mesmo tempo, combate bactérias do aparelho digestivo; evita a obstipação, apontada como a principal causa de muitas doenças, pois o vinagre de maçã ajuda na eliminação de substâncias tóxicas, produto da má alimentação e poluição ambiental, que se alojam no intestino e fígado. Temos também a pectina que auxilia nos processos digestivos, reduzindo extraordinariamente o colesterol e outras gorduras densas. O vinagre de maçã é altamente diurético, ajuda na eliminação do excesso de líquidos. Possui qualidade antioxidante, antiinflamatória e antibiótica excelentes. O vinagre de maçã controla o equilíbrio do pH dos fluidos do corpo, o sangue e a reação da pele.

O vinagre de maçã natural tem propriedade muito parecida com a química do suco gástrico secretado pelo estômago, e por isso, capaz de matar bactérias nocivas à saúde, facilitando a digestão. Médicos naturalistas recomendam que se faça uso de duas colheres das de sopa de vinagre de maçã natural misturado à água antes ou após as refeições regularmente, para evitar intoxicações alimentares, ou deter um processo de intoxicação em andamento.

Umas das razões da vitalidade do vinagre de maçã, é que ele associa minerais ao potássio: fósforo, cloro, sódio, magnésio, cálcio, enxôfre, ferro, flúor, silício e traços de diversos outros. Alguns cientistas como o médico Pires Van Koek atribuem ao vinagre de maçã natural qualidades medicinais miraculosas para a saúde e o recomenda para pessoas que desejam voltar ao seu antigo peso de uma forma natural, e também para a regularização de todas as funções orgânicas deficientes, principalmente devido a uma dieta antinatural. Então, não é novidade que o vinagre de maçã natural tenha conquistado a fama de ser um excelente nutriente, fortificante, depurador do sangue, rejuvenescedor do organismo e excelente emagrecedor.

Se o vinagre de maçã é benéfico em todas as idades, como elemento preventivo de acúmulo excessivo de cálcio e substâncias terrosas obstrutoras do sistema, mais útil ainda é para aqueles que em todas as circunstâncias, já se aproximam ou se encontram na velhice ou estão doentes.

leia mais
Loção aromática
  • 2 colheres de sopa de folhas de alecrim secas.
  • 2 colheres de sopa de salva seca.
  • 2 colheres de sopa de alfazema seca.
  • 1 colher de café de cravos da índia inteiros.
  • 500 ml de vinagre de maçã
  • 25 ml de água de rosas.

Misture todas as ervas e especiarias num frasco, em seguida despeje o vinagre de maçã dentro do frasco e feche hermeticamente. Deixe descansar durante duas semanas num local luminoso. Para acabar, filtre o líquido e adicione água de rosas.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Loção de vinagre de maçã e rosas
  • 25 pétalas de rosas vermelhas e odoríferas.
  • 125 ml de vinagre de maçã
  • 125 ml de água destilada

Introduza as pétalas de rosas num frasco. Aqueça o vinagre de maçã e a água, em seguida despeje dentro do frasco onde estão as rosas, feche-o hermeticamente. Deixe macerar num local escuro durante cerca de duas semanas, finalmente filtre o líquido.

Aperte as pétalas e adicione o extrato que obteve à sua preparação.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Maravilhas do Vinagre de Maçã

Mais estudos sobre os rebanhos de gado em Vermont e a reação alcalina dos alimentos do gado

Quando estudei os efeitos das proteínas sobre o gado leiteiro, procurei um amigo, bacteriologista da Cooperativa de leite de Barre (cidade de meu nascimento no Vermont), e pedi que me indicasse os rebanhos que deveria estudar. O primeiro que sugeriu foi o de Ernest Bisson, com 54 vacas, rebanho misto – incluía diversas raças de gado. As reses não eram criadas na fazenda, e sim compradas a fazendeiros. Os bezerros eram vendidos a negociantes. Meu amigo bacteriologista disse-me que Ernest Bisson conseguia mais leite das suas vacas do que qualquer outro dos 250 fazendeiros dali. Além disso, também tinha maior número de doenças no seu gado do que qualquer outro fornecedor. Os funcionários da leiteria estavam sempre alerta para os estreptococos que apareciam no leite do seu rebanho.

Outro, que indicou, era composto de 45 vacas Jersey. A jovem que cuidava dele, formara-se pela Universidade Rural de um dos estados do Meio-Oeste, e era considerada no Vermont como excepcional criadora de gado. As suas reses levantaram prêmios seguidos nas feiras e exposições de gado Jersey. O objetivo desse rebanho era a apuração da raça e venda de bezerros como fonte de renda.

Além dos rebanhos acima citados, meu cunhado tinha ao sul do Vermont, um excepcional rebanho de 50 Holsteins premiados, que eu costumava visitar de tempos em tempos.

Ernest Bisson ficou satisfeito em discutir comigo o assunto dos rebanhos e do “problema das proteínas”. Seus dois irmãos eram médicos de renome. Ele lhes pedira auxílio no sentido de resolver problemas do rebanho, mas eles não lhe haviam podido dar ajuda. Apelara para o Departamento de Agricultura da Universidade do Vermont num caso de mastite no úbere de uma das vacas; mas, o rebanho da Universidade tinha também diversos casos e eles não sabiam curar mastite. Disseram-lhe que era devido a uma infecção que não sabiam eliminar.

Pedi-lhe que enumerasse os problemas do seu rebanho, a fim de que eu os pudesse estudar. Fez a seguinte relação deles:

  1. Mastite, aguda e crônica. Por ocasião da minha visita havia sete vacas destinadas ao matadouro por mastite crônica, com a presença de estreptococos no leite retirado de uma ou mais tetas.

  2. Incapacidade de procriação em 20 vacas, do total de 54 que compunham o rebanho. Algumas não conseguiam ficar prenhes há um ano. Essa falha descontrolou o programa de Bisson, pois não podia mais planejar o período de lactação de seu rebanho.

  3. Brucelose. Significava perda de bezerros destinados às substituições no rebanho. Os que nasciam, eram fracos e geralmente morriam em duas semanas. Isso lhe impossibilitava criar bezerros para as substituições do rebanho e os abortos estragavam o período de lactação das vacas.

  4. Subpotência nos touros, o que tornava necessárias diversas cruzas antes que se efetivasse a prenhez.

  5. Perda de apetite das vacas.

  6. Partos demorados.

  7. Por não poder criar bezerros para substituições, era obrigado a comprá-los – reses de qualidade duvidosas, pois os fazendeiros não vendem seu melhor gado.

  8. Casos de artritismo em algumas vacas, ocasionando-lhes dificuldades ao levantar ou deitar.

  9. Suscetibilidade crescente ao resfriado.

  10. Influenza entre as vacas, durante os meses de inverno.

  11. Paralisia das pernas, em algumas vacas, também chamada comumente de “febre do leite”, depois do parto.

  12. Prisão de ventre nas vacas.

Problemas bem desafiadores.

A seguir, pedi a Miss Stone, a encarregada das 45 vacas da raça Jersey, que fizesse uma lista dos seus problemas com o rebanho, para que eu pudesse ter um ponto de partida para meu estudo. Ela enumerou:

  1. Abortos no rebanho.

  2. Falta de uniformidade no tamanho dos bezerros nascidos.

  3. Bezerros fracos ao nascer.

  4. Bezerros que não apresentavam as características da vaca ou do touro que os procriaram, o que significa muito quando um bezerro é oferecido à venda para substituir reses num rebanho.

  5. Baixa fertilidade, sendo necessárias diversas cruza.

Comprei um aparelho para extrair sumo de folhas, flores e grama. Fiz também uma reserva de papel de Nitrazina, devido à sua ampla margem de reação, que vai de pH 4,5 para os ácidos e pH 7,5 para os álcalis. Comecei a seguir esses dois rebanhos no pasto, durante os meses mais quentes do ano munido da máquina de extrair sumo, do frasco de papel de nitrazina, de um caderno de notas, de um balde de água e uma caneca, a fim de lavar a máquina após cada extração. Seguindo-os por horas a fio, aprendi muitas coisas sobre nutrição.

A fazenda de Ernest Bisson estava situada na encosta de uma colina com poucas árvores ou arbustos nos pastos. A fazenda onde eram criadas as 45 vacas Jersey estava situada num vale cortado por um riacho. Todos os pastos continham árvores e arbustos.

Achei que o contraste entre as duas fazendas era favorável como objeto de estudo.

Segui, em primeiro lugar, o rebanho da fazenda da encosta. Quando extraí o sumo dos elementos que compunham a alimentação desse gado, verifiquei que a reação era sempre ácida. Quando extraí o sumo dos alimentos que ignoravam ao passar, recusando-se a comê-los, descobri que a reação destes era sempre alcalina. Nos lugares onde havia caído excrementos de vaca, no pasto, o capim era mais alto e de um verde mais escuro. Isso o tornava mais atraente quanto ao tamanho e à coloração. Mas as vacas não o comiam; evitavam esses lugares. Quando testei o sumo desse capim que crescia nos lugares adubados, verifiquei que a reação era sempre alcalina. A recusa instintiva das vacas em comer capim de reação alcalina indicou que esses animais são, por natureza, bons químicos e que procuravam estabelecer o equilíbrio químico de seu organismo. Era evidente que eram também químicos do solo e eu não perderia tempo em aprender o que me podiam ensinar.

A seguir, fui para a fazenda onde iria observar as vacas Jersey. Fiquei impressionado ante sua predileção pelas folhas produzidas pelos diversos arbustos dos pastos. Recolhi amostras dessas folhas e, ao extrair-lhes o sumo, verifiquei que a atração era ácida. Observei também que, em geral, as vacas davam preferências às folhas mais novas.

Comentei essa predileção pelas folhas com miss Stone encarregada do rebanho. Ela confirmou a minha observação e disse que nunca havia recebido qualquer reclamação relativa à mastite, da leiteira para a qual fornecia leite.

Miss Stone ficou muito interessada pelos meus estudos sobre o rebanho, e disse-me que iria fazer algumas experiências que poderiam dar bons resultados. Um dia me telefonou dizendo que ia soltar o gado no pasto onde a couve lombarda estava em flor; e se eu quisesse, ela esperaria que eu estivesse presente.

Quando o rebanho de 45 vacas entrou nesse pasto, a primeira coisa que notei foi que comeram todas as flores da couve antes de se interessar por qualquer outra vegetação do campo. Testei o sumo das flores da couve lombarda e verifiquei ter reação ácida.

Num outro dia, miss Stone me telefonou dizendo que ia soltar o gado num campo de trevos de segunda florada, que não haviam sido colhidos por falta de tempo.

À volta da cerca desse pasto havia uma sebe natural de cerejeiras amargas que haviam gerado espontaneamente e estavam em pleno vigor. Ao serem soltas nesse pasto, as vacas não tocaram nos trevos, mas se dirigiram diretamente às cerejeiras amargas, comendo as folhas, chegando mesmo a ficar apoiadas nas patas traseiras, para atingir as folhas mais altas. As vacas haviam evitado o trevo de reação alcalina, em favor das folhas de cerejeira amarga, de reação ácida.

Em outra ocasião esse rebanho foi solto num campo onde havia sido feita plantação e subseqüente colheita de batatas. Haviam sobrado algumas batatas e estas foram desenterradas pelas vacas, com os cascos; era outro caso de reação ácida – as batatas.

Perguntei a Miss Stone se estava disposta a fertilizar parte de um pasto com esterco e, logo que a vegetação começasse a crescer, soltar nele o rebanho a fim de verificar se, orientado pelo instinto, iria evitar a parte adubada ou se aceitaria a vegetação que ali crescesse.

Mais tarde, dezesseis bezerros de 6 meses a um ano de idade, foram soltos num pasto cuja quarta parte havia sido adubada com esterco de vaca, durante o outono precedente. O esterco ficara no estábulo durante um ano. A grama, nessa parte do pasto, era muito mais verde e mais alta do que no resto do campo. A linha divisória entre a parte adubada e não adubada era claramente visível.

Das dezesseis cabeças, apenas duas se dirigiram à porção adubada. Tinham ambas seis meses de idade. Enquanto os observava, vi que abandonavam aquela área e iam pastar na parte que não tinha o adubo.

Observei nessa mesma fazenda, outro exemplo do instinto de química das vacas. Uma delas tinha 20 anos de idade; por sentimentalismo era mantida. Chamava-se Bobby e vivia à solta na fazenda. Passei muito tempo seguindo-a para conhecer seus hábitos alimentares. Tinha predileção pelas folhas de olmo. Conheço pouca acerca da composição das folhas de olmo, exceto que tem reação ácida. Tenho observado aqui no Vermont que quando um fazendeiro que segue o seu rebanho, de manhã, descobre que está com fome come uma ou duas folhas de olmo; faz passar a sensação de fome.

Costumavam amarrar Bobby no estábulo com uma corda frouxa, para que pudesse levantar e deitar facilmente. Um dia ela fugiu. Foi à carroça das rações e tentou chegar ao balde de vinagre de maçã que lá estava. Ao ouvir o ruído do balde, Miss Stone saiu para ver o que era. Querendo verificar o que a velha Bobby faria, Miss Stone pôs o balde ao alcance dela. Bobby lambeu cerca de meio litro de vinagre de maçã e depois, evidentemente satisfeita, afastou-se. Isso indica que o organismo do animal que envelhece também precisa de ácido e o animal sabe disso.

Todas as semanas faz-se o exame do leite enviado pelos fornecedores às usinas. Aos produtores do leite de tipo comum é permitido uma porcentagem de 400.000 bactérias por centímetro cúbico de leite não pasteurizado e 20.000 bactérias por centímetro cúbico de leite pasteurizado.

Contudo, os dois rebanhos que estudei produziam nessa época, leite Tipo A, que requer melhor padrão. O leite de um dos rebanhos era enviado para Massachusetts o do outro para Rhode Island. Os fornecedores do Tipo A para as leiteiras tem uma margem de tolerância de 50.000 bactérias para o leite não pasteurizado e de 5.000 bactérias para o leite pasteurizado, em cada centímetro cúbico de leite. Quando um fornecedor excede essa taxa devido à falta de higiene no aparelhamento ou a distúrbios no rebanho, é-lhe concedido um prazo de duas semanas para voltar ao normal.

As receber cópias de duas cartas laudatórias aos donos dos rebanhos, devido ao baixo teor de bactérias comprovado no leite de seus rebanhos, continuei minhas experiências e verifiquei que, quando se omitia o vinagre de maçã a quantidade de bactérias aumentava; quando o gado recebia sua dose diária de vinagre, a quantidade de bactérias diminuía.

Ao fim de cinco anos de estudos e observação contínua desse rebanho de 45 vacas leiteiras, no estábulo durante o inverno, e no pasto durante o verão, meu amigo fazendeiro e eu revimos a lista primitiva dos distúrbios do rebanho, a fim de verificar os progressos obtidos com meus estudos, interpretar e pôr em prática o que elas nos haviam ensinado. As medidas adotadas havia resultado no seguinte:

  1. Nenhuma vaca fora sacrificada nos dois últimos anos por mastite. Não havia mais casos de mastite crônica no rebanho.

  2. Durante esses cincos anos o rebanho havia aumentado para 70 vacas, devido ao controle bem sucedido da mastite. Dessas, apenas oito não haviam ficado prenhes no ano anterior. Do grupo de 20 que não conseguiam procriar quando iniciei meus estudos sobre o rebanho, todas as 20 esperavam crias.

  3. Quanto à brucelose, o problema ainda existia, mas algum progresso havia: menor número de abortos – apenas três vacas haviam abortado no ano anterior. Além disso, os abortos ocorriam agora no último mês de gravidez. E as vacas que abortavam não perdiam o período de lactação – começavam-no normalmente, como se houvessem chegado a termo.

  4. Não houvera mais a dificuldade em se manter a fertilidade dos touros.

  5. Não havia mais inapetência nas vacas.

  6. As vacas passaram a ter parto rápido e normal. Se ficasse retida a placenta, era geralmente expedida dentro de quadro dias. A placenta retida não tinha mau cheiro ou corrimento como antes.

  7. Não nasciam mais bezerros fracos ou nervosos.

  8. Apenas uma vaca do rebanho fora atacada de artritismo, e foi logo curada.

  9. Desapareceram os resfriados.

  10. Nenhum caso de influenza ou pneumonia ocorreu.

  11. Não ocorreu mais febre do leite e nem paralisia, quando a vaca dava à luz.

  12. Não houve nenhum caso de constipação. Se aparecia algum caso de disenteria, era logo eliminado.

Fiz também com Miss Stone a revisão dos antigos distúrbios do seu rebanho. Resultaram no seguinte:

  1. Os abortos cessaram.

  2. Os bezerros não mais nasciam de tamanho inferior ao normal.

  3. Ao nascerem eram fortes e resistentes com pernas bem formadas e boa pelagem. Punham-se de pé em cinco minutos após e mamavam antes de meia hora.

  4. Os bezerros que nasciam tinham características bem definidas. Eram inteligentes: não era mais necessário ensiná-los a beber do balde.

  5. O problema da procriação desaparecera.

Atualmente, os criadores de gado já reconhecem que o excesso de proteínas pode ser uma fonte de moléstias do úbere. Um fazendeiro pode acrescentar à ração uma porcentagem de proteínas com a qual o rebanho parece se dar bem. De repente depara com feno cortado há tempo, rico em proteínas. A proteína da ração unida à do feno resulta em excesso, e em conseqüência surgem casos de moléstias do úbere em algumas vacas.

Há uma relação de grande valor entre a dieta diária das vacas e dos seres humanos. Uma vaca que recebe vinagre de maçã duas vezes ao dia come menos feno e cereais. Uma pessoa que toma uma ou duas colheres de chá de vinagre de maçã, em um copo de água, durante a refeição ficará satisfeita com menos alimento. Isso vai ao encontro dos planos originais da Natureza, nos quais inclui um lugar para a ingestão de um ácido natural, e o vinagre de maçã torna-se um alimento imprescindível.

Dediquei-me depois, a um livro, “O Jersey”, publicado pelo Clube Americano de Gado Jersey, o qual relata a história da vaca Jersey e do seu aparecimento na Ilha desse nome. Estava particularmente interessado no solo dessa ilha, nos adubos lá empregados.

Tudo indica que o solo de Jersey tem uma tendência ácida. Lá não se encontra pedra de cal nem giz. O adubo é feito de algas marinhas que as tempestades trazem para as praias. Os fazendeiros recolhem-nas quando a maré baixa. Além do húmus potássico, a alga marinha enriquece o solo de sódio e iodo, assim como dos restantes 46 minerais nela contidos.

Após ler esse livro, soube de um gado Jersey, cujas vacas haviam todas sido importadas da Ilha de Jersey. Visitei esse rebanho e fiquei impressionado com o comprimento do corpo dos animais. Jamais vira vacas Jersey de corpo tão longo. O touro que na época da importação era o campeão da ilha tinha também um corpo inusitadamente comprido. Pareceu-me ser efeito do potássio contido na alga usada para adubar a terra. E confirmou que as ancestrais das Jersey do Vermont encontram o que as ancestrais das Jersey do Vermont encontram o que estas procuram, isto é, solo ácido, potássio, iodo e outros minerais necessários.

Perguntei ao Prof. George W. Cavanaugh, onde se encontrava o rebanho campeão dos Estados Unidos. Respondeu-me que, constituído de 50 vacas ou mais, estava localizado no Overbrook Hospital, em New Jersey.

Durante minha visita a esse rebanho foram discutidas a produção, alimentação e saúde do gado, e soube que empregavam um suplemento alimentar feito de alfas e peixes. Dava-lhe o nome de Manamar e soube que essa era uma forma de manter maior teor de proteína na ração sem risco de doenças nas vacas. Isso me causou uma dúvida. Seria a proteína a responsável pelos maiores problemas na criação do gado leiteiro? O ácido e o potássio neutralizariam os efeitos nocivos da proteína, tornando possível um máximo de produção de leite sem prejudicar a saúde das vacas? Essa visita resultou, naturalmente, num estudo das vacas leiteiras alimentadas de proteínas.

Os criadores atuais têm ouvido falar tanto em proteína que se podem considerar obcecados pelo assunto. Ao comprarem um saco de ração, a primeira pergunta é: - Qual a porcentagem de proteínas? Em geral, é essa a única pergunta que se faz. Uma ração pode ter 16, 18, 20 ou 24% de proteína ou qualquer outra porcentagem. O preço e os resultados esperados estarão na proporção do teor de proteína declarado na embalagem.

Citarei um exemplo das vantagens de se combinar o ácido com a proteína, na alimentação. O proprietário de um rebanho misto de 54 vacas leiteiras comentava comigo o seu animal favorito, uma Jersey de 400 kg de peso. Dois anos antes, o bacteriologista da leiteira e o veterinário local haviam-no aconselhado a se desfazer da vaca. Mas ele tinha pelo animal uma especial predileção e foi protelando. Ela sofria de mastite crônica. Toda vez que seu leite era inspecionado pelo bacteriologista se constatava a presença de estreptococo no produto de cada uma das tetas. Chegou-se, finalmente, à conclusão de que deveria ser eliminada.

Esperava um bezerro para o princípio de novembro. Supunha-se que a mastite iria piorar após o parto; a sua produção de leite deveria aumentar, mas seria impróprio ara o consumo.

Sugeri que parte do transtorno poderia ser ocasionado pelo fato de estar ele violando uma antiqüíssima lei de nutrição, relativa às sementes de plantas. Apesar de ser necessário tomar-se ácido quando a alimentação é feita à base de sementes, essa vaca não comia suficientes folhas ácidas. Normalmente, a vaca deveria ter a possibilidade de comer folhas tenras diretamente da planta.

Decidiu-se imediatamente despejar uma colher de chá de vinagre de maçã na ração, para cada 50 kg de peso do animal. Como pesava 400 kg, a dose era de 8 colheres de chá de vinagre, por ração. Recebendo duas ao dia, o total era de 18 colheres diárias.

No dia seguinte à administração da primeira dose, telefonei ao fazendeiro. Soube que a vaca havia cheirado a ração por diversas vezes e depois a comera àvidamente e continuara a lamber o coxo durante meia hora. Isso provou que o vinagre de maçã representava algo que ela desejava instintivamente, portanto, devia-se continuar.

Começamos a dar-lhe vinagre duas semanas antes do nascimento do bezerro, a 5 de novembro. O úbere da vaca desinflamou e a mastite desapareceu. Após o parto, todas as tetas estavam sem qualquer vestígio de mastite. Já se lhe haviam administrado quantidade de sulfanilamida, nos últimos dois anos, na esperança de debelar a mastite. A princípio a doença cedia, para logo depois ressurgir. Depois que começou a tomar o vinagre de maçã, foi possível alterar-se a alimentação e passou a receber uma ração composta de 16% de proteínas em quantidade igual à outra composta de 14%. Com 5 kg de ração, a pequena Jersey de 400 kg passou a dar um balde de 15 litros de leite (com nata de uma polegada de espessura) em cada uma das duas ordenhas diárias – o dobro do que produzira antes.

A 4 de fevereiro do ano seguinte, estava com o úbere perfeito, alimentava-se bem e produzia 19 litros de leite por dia, e recebia a 3 kg de ração adequada, à base de 14% de proteínas.

Em 1 de março continuava normal, sem sinal de mastite. Era difícil saber qual dois estava mais interessado no prosseguimento da dieta à base de vinagre de maçã: se ela ou o dono.

Algumas conclusões sobre o uso do vinagre de maçã nesse caso:

  1. Após o desaparecimento da mastite, as tetas voltaram a ser normalmente esponjosas. Pode-se verificar pela palpação do úbere e pela volta ao normal da quantidade de leite produzida.

  2. Curada a mastite pelo vinagre de maçã, tetas afetadas, menores a princípio, em dois meses retomam as devidas proporções.

  3. A pequena vaca Jersey tratada de mastite crônica com o vinagre de maçã há dois anos atrás tem agora um úbere perfeito. Tornou-se uma das melhores produtoras de leite do rebanho.

  4. Num caso comum de mastite, a teta inflamada volta ao normal em uma semana com tratamento por vinagre de maçã. Nos casos rebeldes, serão necessários dois meses.

  5. A média de recuperação de vacas atingidas pela mastite crônica é de 75%.

Devido à experiência com a pequena Jersey, decidiu-se dar a cada vaca do rebanho, 56 gramas de vinagre derramadas sobre a ração logo que esta fosse posta no coxo, para se observar qual a reação. Se o potássio era o responsável pelos benefícios prestados à primeira vaca, então se podia adicioná-lo ao solo da fazenda, na expectativa de colherem-se resultados semelhantes.

A primeira observação feita após a adoção do método foi o aumento de produção do leite do rebanho. Vários acompanhamentos foram feitos à época para se observar e comparar depois com os resultados obtidos.

Podemos constatar que durante todo o mês de março de 1944 esse fazendeiro não conseguiu obter sua cota de vinagre de maçã. Isso explicou a queda de produção de leite demonstrada pelas anotações feitas. Conseguiu-se depois obter cinco barris de vinagre. A produção de leite subiu, mas de acordo com a demonstração, foram necessárias duas semanas para superar a produção do ano anterior. Durante o mês de julho e as duas primeiras semanas de agosto de 1944, o vinagre de maçã não foi dado por que o rebanho estava no pasto; foi julgado desnecessário. Mas a nova queda na produção do leite tornou evidente que uma vez que o vinagre de maçã aparentemente continha elementos não existentes na ração e na vegetação do pasto, era tão necessário durante o verão quanto durante o inverno, para se manter a produção do leite.

Vejamos a influencia de 50 gramas de vinagre de maçã derramadas em cada ração, no tocante ao teor de gordura do leite.

Esse rebanho que estudei fazia parte da Associação de Melhoria dos Rebanhos Leiteiros e era examinado há tempos regulares por um perito da associação. Esse perito me disse que dos 23 rebanhos que costumava examinar esse era o que produzia mais gordura no leite. A 1 de novembro se iniciou a ministração de vinagre de maçã. No mês seguinte a porcentagem de nata foi de 5,1%. Em maio, esse rebanho de 45 Jerseys registradas possuía 27 vacas de qualidade. Uma vaca de qualidade é aquela que produz 43, 592 litros de leite por mês com 18,1436 kg de gordura. Vinte e sete era o maior índice de vacas de qualidade que o rebanho jamais tivera; anteriormente, a maior quantidade fora de 19. No mês de setembro seguinte, a gordura atingiu 5,61%; o maior teor atingido pelo rebanho.

O perito me disse também que as vacas dos outros rebanhos comiam de 9 a 11 kg de feno por cabeça, diariamente, enquanto que as desse rebanho Jersey registrado comiam apenas 6 kg por dia, quando o vinagre de maçã era adicionando à ração. Esse consumo inferior de feno representava uma economia de 225 dólares por mês, só em feno. Um barril de vinagre mensal custava 18 dólares. Os dados referentes às despesas da compra de feno e de vinagre de maçã provam a influência do vinagre de maçã sobre a quantidade de ração adquirida para as vacas de um rebanho misto.

Sem a adição de vinagre de maçã e nos baseando nas quantidades compradas nos primeiros três meses de 1942 e 1943, a conta desse trimestre m 1944 deveria ser de US$ 1,755. Adicionando-se o vinagre de maçã, houve uma economia de US$ 655 na compra de rações. A conta de vinagre de maçã, nesse período foi de US$ 90.

Meu amigo fazendeiro chegou à seguinte conclusão com o emprego do vinagre de maçã no seu rebanho de novilhos. Se tivesse de escolher entre 1 quilo de ração sem vinagre e 250 gramas de ração com duas onças (56 gramas) de vinagre de maçã adicionado a mesma duas vezes ao dia, escolheria esta última, que proporcionaria aos seus novilhos maior crescimento em um prazo certo. Estou convencido de que o potássio contido no vinagre de maçã é responsável por grande parte do feliz resultado visto que, como foi dito diversas vezes neste livro, o potássio está associado ao crescimento da planta, animais e do ser humano.

Parecia-me aconselhável verificar se era o vinagre de maçã que, especificamente, possibilita um equilíbrio na ingestão de proteínas ou se algo associado ao ácido era responsável pelos resultados obtidos.

Notou-se que, quando um rebanho era solto pela primeira vez num pasto onde uma faixa de terra havia sido adubada com fosfato ácido, as vacas comiam apenas o capim dessa faixa, desprezando o que nascia dos lados. Observou-se também que algumas vacas comiam fosfato ácido puro, quando o encontravam. Isto me levou a imaginar se o ácido fosfórico derramado sobre a ração de algumas vacas produziria os mesmos resultados do vinagre de maçã adicionado à ração das demais.

Escolhemos cinco vacas para essa experiência. Suspendemos-lhes a dose de vinagre de maçã e passamos a dar-lhes uma colher de chá de ácido fosfórico derramado sobre a ração duas vezes ao dia.

Durante quase duas semanas, nada aconteceu. Então uma ou mais tetas do úbere de cada uma das vacas começaram a inchar. Paramos imediatamente com o ácido fosfórico substituindo-o pelo vinagre de maçã e as tetas inflamadas voltaram ao normal.

Trechos extraídos do livro: FOLK MEDICINE: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health, do médico norte-americano
DR. DC JARVIS

leia mais
Máscara de abacate e vinagre de maçã
  • 3 colheres de sopa de abacate esmagado
  • 3 colheres de café de mel
  • 2 colheres de sopa de vinagre de maçã
  • 2 colheres de café de farelos de trigo

Misture o abacate, o mel e o vinagre de maçã. Engrosse a pasta com o farelo de trigo. Espalhe a preparação sobre a pele e deixe atuar durante 30 minutos.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Máscara de morango e vinagre de maçã
  • 3 morangos
  • ¼ de copo de vinagre de maçã

Desfaça os morangos em purê com o vinagre de maçã. Deixe macerar durante cerca de 3 horas. Em seguida esprema tudo com um tecido. Aplique o líquido extraído no rosto. Deixe atuar toda a noite e depois lave pela manhã.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Massagens

Depois do banho ou da ducha, recomenda-se a prática de uma massagem uma vez por semana.

  • Encha a banheira de água quente e adicione um copo de vinagre de maçã.
  • Massageie todo o corpo com está água avinagrada, até que penetre bem na pele. Não se enxugue.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Nós criamos nossas próprias doenças

Segundo a psicóloga americana Loise l. Hay, todas as doenças que temos são criadas por nós. Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo. "Todas as doenças tem origem num estado de não-perdão", diz a psicóloga americana Louise L.Hay.

Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar. Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais. Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão. Perdoar dissolve o ressentimento.

A seguir, você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaboradas pela psicóloga Louise. Reflita, vale a pena tentar evitá-las:

Doenças e suas causas.

  • AMIGDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
  • ANOREXIA: Ódio ao extremo de si mesmo.
  • APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
  • ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
  • ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
  • ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
  • BRONQUITE: Ambiente familiar inflamado. Gritos, discussões.
  • CÂNCER: Magoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
  • COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
  • DERRAME: Resistência. Rejeição a vida.
  • DIABETES: Tristeza profunda.
  • DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
  • DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.
  • ENXAQUECA: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
  • FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
  • FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.
  • GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
  • HEMORROIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
  • HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
  • INSONIA: Medo, culpa.
  • LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
  • MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
  • NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
  • PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
  • PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
  • PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
  • PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
  • PULMÕES: Medo de absorver a vida.
  • QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
  • RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.
  • REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.
  • RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
  • RINS: Crítica, desapontamento, fracasso.
  • SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.
  • TIROÍDE: Humilhação.
  • TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
  • ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
  • VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.

Curioso não? Por isso vamos tomar cuidado com os nossos sentimentos... principalmente daqueles, que escondemos de nós."

leia mais
O mito da proteína - Por Anthony Robbins

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da Criação, seja animal ou vegetal; ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante". Albert Schwweitzer, Prêmio Nobel da Paz de 1952.

Já ouviu dizer que quando se conta uma mentira muito grande, em voz muito alta e muitas vezes, mais cedo ou mais tarde as pessoas acreditarão nela?

Bem-vindos ao maravilhoso mundo da proteína. Nunca foi dita mentira maior do que essa de que o ser humano precisa de uma dieta rica em proteínas para manter uma ótima saúde e bem-estar.

É bem provável que você esteja muito consciente sobre quanto ingere de proteínas. Por que isso? Algumas pessoas estão tentando um aumento do nível de energia. Algumas pensam que precisam de proteína para aumentar a resistência. Algumas comem-na para ter ossos fortes. Mas, em cada um desses casos, o excesso de proteína produz efeito exatamente oposto.

Procuremos um modelo de quanta proteína você deve realmente precisar. Quando é que você imagina que as pessoas precisam mais de proteínas? Provavelmente quando são crianças pequenas. A Mãe Natureza providenciou um alimento, o leite materno, que fornece à criança tudo que ela precisa.

Adivinhe quanta proteína tem o leite materno - 50 por cento, 25 por cento, 10 por cento? Menos! O leite materno tem 2,38070 de proteína logo após o parto, que se reduz para 1,2; 1,6%, em seis meses. Isso é tudo.

Então, de onde tiramos a idéia de que os seres humanos precisam de doses maciças de proteínas?

Ninguém realmente tem qualquer idéia de quanta proteína precisamos. Após dez anos estudando as necessidades humanas de ingestão de proteínas, o dr. Mark Hegstead, antigo professor de nutrição da Harvard Medical School, confirmou o fato de que a maioria dos seres humanos parece adaptar-se a qualquer quantidade de proteína que esteja disponível para eles.

Além do mais, mesmo pessoas como Frances Lappé, que escreveu Diet for a Small Planet, e que por quase uma década promoveu o conceito de combinar vegetais para conseguir todos os aminoácidos essenciais, dizem que estavam erradas, que as pessoas não têm de combinar suas proteínas, que se você fizer uma dieta vegetariana convenientemente balanceada, conseguirá toda a proteína de que necessita.

A National Academy of Sciences diz que o norte-americano adulto precisa de 56 gramas de proteína por dia. Num relatório do International Union of Nutritional Sciences, descobrimos que cada país tem diferentes exigências de proteínas diárias para o adulto, que variam de 39 a 110 gramas por dia.

Assim, quem realmente tem alguma idéia? Por que você precisaria de toda essa proteína? Presume-se que seja para repor o que perdeu.

Mas você perde só uma pequena quantidade por dia, através da excreção e respiração! Então, onde eles conseguiram essas cifras?!

Procuramos a National Academy of Sciences e perguntamos como chegaram à cifra de 56 gramas. De fato, os relatórios deles diziam que só precisamos de 30, mas recomendavam 56. Mas eles também afirmam que o excesso de proteína ingerida sobrecarrega o trato urinário e causa fadiga. Por que, então, recomendam até mais do que dizem que precisamos? Ainda estamos aguardando uma boa resposta.

Disseram-nos simplesmente que costumavam recomendar 80 gramas, mas, quando decidiram baixar, depararam com um grande protesto público. De quem? Você ou eu fomos reclamar? Não é provável. O grito de protesto veio dos interesses de industriais que ganham seu sustento com a venda de alimentos e produtos altamente proteínicos.

Qual é o maior plano de comercialização na terra? É fazer as pessoas pensarem que morrerão, a menos que usem certo produto.

E foi isso o que aconteceu com as proteínas. Analisemos o fato corretamente. O que você acha da idéia de que precisa de proteínas, como energia? O que é que seu corpo usa como energia?

Primeiro, ele usa glicose das frutas, vegetais e brotos. Então usa amido, depois usa gordura. E a última coisa que chega a usar é proteína. Basta, quanto ao mito. E sobre a idéia de que as proteínas ajudam a aumentar resistência? Errado. Proteína em excesso dá ao corpo nitrogênio em excesso, que causa fadiga.

Gente com corpo modelado, todo estufado de proteínas, não é conhecida por sua habilidade de correr maratonas. Ficam muito cansados. Bem, e quanto à questão das proteínas fazerem ossos fortes? Errado outra vez. É o contrário. Muita proteína tem estado ligada sempre à osteoporose, degeneração e enfraquecimento dos ossos.

Os ossos mais fortes do planeta pertencem aos vegetarianos. Eu poderia lhe dar uma centena de razões pelas quais comer carne devido às proteínas é uma das piores coisas que pode fazer. Um dos produtos derivados do metabolismo da proteína é a amônia, por exemplo. Deixem-me mencionar dois pontos em particular.

Primeiro, a carne contém altos níveis de ácido úrico, que é um dos resíduos ou produtos excretórios resultantes do trabalho das células vivas. Os rins extraem ácido úrico da corrente sangüínea e enviam-no para a bexiga para ser passado com a uréia, como urina.

Se o ácido úrico não for pronta e seguramente removido do sangue, o excesso se acumula nos tecidos do corpo, para mais tarde provocar gota ou pedra na bexiga, sem mencionar o que ele faz para seus rins.

Descobriu-se que as pessoas com leucemia, em geral, têm níveis muito altos de ácido úrico na corrente sangüínea. Um pedaço médio de carne tem 907,2 mg de ácido úrico.

Seu corpo pode eliminar só 518,4 mg de ácido úrico por dia. De mais a mais, você sabe o que dá à carne seu sabor? Ácido úrico do animal, que agora está morto, e que você está consumindo. Se duvidar disso, tente comer carne à moda Kosher (ortodoxa judaica), antes de ser temperada. O sangue é drenado e, assim, a maior parte do ácido úrico.

Carne sem ácido úrico não tem sabor.

É isso que você quer pôr em seu corpo, o ácido normalmente eliminado na urina de um animal ?!

A carne está fervilhante de bactérias de putrefação. Se você não sabe o que são bactérias de putrefação, elas são germes do cólon.

Como explicou o dr. Milton Hoffman em seu livro The Missing Link in the Medical Curriculum Which is Food Chemistry in Its Relationship to Body Chemistry; página 135:

"Quando o animal está vivo, o processo osmótico no cólon evita que as bactérias da putrefação passem para o animal. Quando o animal está morto, o processo osmótico pára e as bactérias da putrefação atravessam as paredes do cólon e entram na carne. Elas amaciam a carne".

Você sabe que a carne tem de envelhecer. O que envelhece ou amacia a carne são as bactérias de putrefação.

Segundo técnicos abalizados, as bactérias nas carnes são idênticas àquelas do esterco e mais numerosas em algumas carnes do que no esterco. Todas as carnes tornam-se infectadas com germes de esterco no processo de matança, e o número aumenta quanto mais tempo a carne for mantida armazenada.

É isso que você queria comer? Se você precisa mesmo comer carne, então proceda assim: primeiro, consiga-a de uma fonte que garanta que o pasto é natural, isto é, uma fonte que garanta que não tiveram hormônios de crescimento ou DES. Segundo, corte drasticamente o seu consumo. Faça seu novo programa: usar carne só numa refeição por dia.

Não estou dizendo que simplesmente deixando de comer carne você ficará saudável, nem estou dizendo que se comer carne não poderá ser saudável.

Nenhuma dessas duas declarações seria verdadeira. Muitos comedores de carne são mais saudáveis do que vegetarianos, simplesmente porque alguns vegetarianos têm a tendência de acreditar que, se não comem carne, podem comer qualquer outra coisa.

Eu certamente não estou advogando isso. Mas você deve saber que pode ser mais saudável e mais feliz do que agora, decidindo que não quer mais comer a carne e a pele de outros seres vivos.

Você sabe o que Pitágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, Leonardo da Vinci, Isaac Newton, Voltaire, Henry David Thoreau, George Bernard Shaw, Benjamin Franklin, Thomas Edison, o dr. Albert Schweitzer, Mahatma Gandhi, tinham em comum?

Todos eles eram vegetarianos. Um grupo nada mau para ser modelado, não acham?...

São os latícínios melhores? De algumas formas, são até piores.

Todo animal tem leite com o equilíbrio certo de elementos para esse animal. Muitos problemas podem surgir de bebermos leite de outros animais, incluindo o de vaca.

Por exemplo: os fortes hormônios de crescimento, no leite das vacas, destinam-se a fazer um bezerro crescer de 40 quilos ao nascer até quase 450 quilos na maturidade física, dois anos mais tarde.

Em comparação, uma criança humana nasce com cerca de 2.800-3.500 gramas e atinge a maturidade física de 46 a 90 quilos, 21 anos mais tarde.

Há uma grande controvérsia sobre o efeito que isso tem em nossa população. O dr. William Ellis, grande autoridade em produtos laticínios e como eles afetam a corrente sangüínea humana, declara que se você quiser ter alergias, beba leite.

Se quiser um sistema "entupido", beba leite. A razão, declara ele, é que poucos adultos podem metabolizar adequadamente a proteína do leite da vaca.

A principal proteína no leite de vaca é a caseína, que é o que o metabolismo da vaca precisa para uma boa saúde.

No entanto, caseína não é o que os humanos precisam. De acordo com os estudos do dr. Ellis, tanto as crianças como os adultos têm grande dificuldade em digerir a caseína. Seus estudos agora mostram que, pelo menos em crianças, 50 por cento ou mais da caseína não é digerida.

Essas proteínas parcialmente digeridas com freqüência entram na corrente sangüínea e irritam os tecidos, criando susceptibilidade às alergias. Por fim o fígado tem de remover todas essas proteínas de vaca parcialmente digeridas, e isso - em compensação - coloca uma desnecessária carga no sistema excretório interno e no fígado em particular.

Em contraste, a lactoalbumina, a proteína básica no leite humano, é fácil para os seres humanos digerirem.

Quanto a beber leite pelo cálcio, Ellis declara que, após fazer testes de sangue em cerca de 25.000 pessoas, descobriu que aqueles que tomam três, quatro ou cinco copos de leite por dia, têm o mais baixo nível de cálcio no sangue.

Ainda de acordo com Ellis, se você estiver preocupado em obter cálcio suficiente, simplesmente coma muitos vegetais verdes, manteiga de gergelim, ou nozes - todos são muito ricos em cálcio e de fácil digestão.

Também é importante notar que se você consome cálcio em excesso, ele pode acumular-se em seus rins e formar pedras. Assim, para manter suas concentrações no sangue relativamente baixas, seu corpo rejeita cerca de 80 por cento do cálcio que você consome.

No entanto, se você estiver interessado, há outras fontes além do leite. Por exemplo, os nabos verdes, peso por peso, contêm duas vezes mais cálcio do que o leite.

De acordo com muitos técnicos, os interesses da maioria das pessoas sobre o cálcio são de qualquer forma injustificados.

Qual é o principal efeito do leite no corpo? Torna-se uma massa destruidora, formada de muco que endurece, obstrui e gruda em qualquer coisa dentro do intestino delgado, tornando o trabalho do corpo muito mais difícil.

E sobre queijos? É só leite concentrado. Lembre-se, são precisos 4 ou 5 galões de leite para fazer meio quilo de queijo.

O conteúdo de gordura sozinho já é razão suficiente para limitar seu consumo. Se você deseja mesmo queijo, corte uma pequena quantidade numa grande salada. Dessa forma, você tem muitos alimentos ricos de água para contrabalançar alguns de seus efeitos obstruidores.

leia mais
O Vinagre de Maçã e a Meningite - Por Gerhard Orth

Em 17 de junho de 1983, adoeci — era meningite causada por bactérias. Essas bactérias se multiplicam com rapidez enorme e atacam o sistema nervoso central. À noite, senti leve dor de cabeça e algumas pontadas na nuca. A dor foi aumentando até se tornar insuportável. Todos os medicamentos contra dor de cabeça que encontrei na farmácia caseira falharam. Fui dar uma volta no bosque e tentei fazer exercícios de alongamento em um galho — tudo em vão. Na manhã seguinte, acordei com tanta dor que nem podia me arrastar pelo quarto, onde meu filho me achou caído. Minha esposa chamou o médico que viu meu pescoço enrijecido e constatou: “meningite”.

A ambulância me levou ao hospital, onde uma médica já estava esperando para fazer uma punção lombar. Depois, fui colocado na cama e instalaram um soro com antibiótico. Quem iria vencer — o remédio ou a doença? As dores terríveis se alastraram da cabeça pela nuca, pelo corpo inteiro, até braços e pernas. Eu me virava sem parar, tentando achar uma posição menos dolorida. Os medicamentos não faziam o menor efeito. Durante dez dias tive dores ininterruptas que aumentavam cada vez mais. Os antibióticos mataram a minha flora intestinal, as fezes eram quase negras e eu emagrecia um quilo por dia. A comida, que engolia com muito sacrifício, tinha gosto de palha. Certa noite, tomei um banho para diminuir as dores. O plantonista disse que me prenderia na cama se eu tentasse isso novamente.

No décimo dia, as dores estavam tão insuportáveis que chamaram o neurologista interno do hospital. Ele entrou no quarto, fechou a porta e disse: “Caro colega, tente lembrar de alguma terapia, pois está perdido. Fizemos tudo que poderia ser feito e não sabemos mais o que fazer.” Depois sumiu.

Em situações como essa, sempre me dirijo à Força Superior. Também agora pedi a Deus que me desse uma inspiração. Alguns minutos depois lembrei dos livros do Dr. Jarvis: “Folk Medicine” (Medicina popular) e “Arthritis and Folk Medicine” (Artrite e medicina popular). Dr. Jarvis, médico dos Estados Unidos, curava pessoas e animais com vinagre de maçã. Minha esposa estava me visitando e lhe pedi que comprasse uma garrafa de vinagre de maçã orgânico.

Na manhã seguinte, sentei diante do lavatório, enchi a pia com água morna e acrescentei um jato de vinagre. Durante o dia todo esfreguei o corpo inteiro com um pano molhado nessa solução. Nos intervalos, bebi cinco copos com água morna, duas colheres de sopa de vinagre de maçã e um pouco de mel puro de abelhas.

Enquanto me lavava senti algo estranho no meu interior: senti uma enorme mudança no corpo dolorido. À noite, fui cambaleando para a cama e caí num sono profundo, do qual o padre, que veio meia hora depois para me consolar, não conseguiu me acordar. Na manhã seguinte, acordei com a médica-chefe da clínica e sua equipe parados na porta olhando para mim espantados. Pedi meu café da manhã. Completamente perplexa, ela perguntou: “Ainda tem dores?” “Não, estou ótimo”, respondi. “Tire a roupa, por favor. Meu Deus! Todas as manchas vermelhas sumiram! O que foi que o senhor fez, Dr. Orth?”

“Ali está uma garrafa de vinagre de maçã pela metade,” eu respondi, “a outra metade misturei com água morna e me lavei com ela; além disso, tomei cinco copos dessa mistura com um pouco de mel. Não sinto mais nada!” A médica virou-se para a equipe e disse: “É melhor terem aulas com o Dr. Orth, pois não posso ensinar-lhes mais nada.”

O que havia acontecido? Ácidos orgânicos se decompõem no organismo em dióxido de carbono e um resíduo alcalino provocou uma forte alcalose. Os meningococos não suportaram essa mudança de ambiente. Após quatro dias, tive alta.

Para ajudar os doentes, utilizo hoje o vinagre de maçã para candidíase (micoses internas e externas) e para distúrbios do metabolismo. Fricções com vinagre de maçã diluído também são eficazes e produzem um efeito positivo sobre o estado geral físico e psíquico. Em nenhum caso houve efeitos colaterais. O Dr. Jarvis também recomendou o uso interno e externo do vinagre de maçã orgânico para casos de reumatismo.

Temos um meio barato e eficaz à nossa disposição para combater a acidose (excesso de acidez no organismo) a curto prazo. Entretanto, a longo prazo, o equilíbrio ácido-básico do organismo precisa ser estabilizado pela alimentação rica em frutas, saladas, germes e brotos crus, evitando produtos animais, farinhas brancas e açúcar.

Fonte: Der Naturarzt, nº 9, 1992, Weilrod, Alemanha. O Dr. Orth é químico, consultor da indústria química e farmacêutica.
Realiza pesquisas na área de intercorrências geofísica.

leia mais
O Vinagre de Maçã Natural e suas qualidades terapêuticas extraordinárias

A medicina popular do Vermont é uma composição na qual entram os princípios curativos da Natureza, com uma dose integral de bom senso.

É coisa banal nas fazendas do Vermont, estado americano no extremo nordeste dos USA, que septuagenários trabalhem o dia inteiro, e não é raro se encontrarem homens de noventa ou mais anos trabalhando na lavoura como se fossem muitos anos mais moços, sem apresentar fadiga e com uma excelente qualidade de vida, permanecendo ativos durante sua vida.

Esses, para prolongar a sua vida ativa, tiram partido de leis fundamentais da fisiologia e bioquímicas que vêem funcionar na Natureza, pois são observadores natos dos fenômenos naturais.

É crença geral no Vermont, que a duração mínima da vida de um animal corresponde a cinco vezes o período necessário para atingir a maturidade. A galinha atinge a maturidade aos seis meses, chega facilmente aos dois anos e meio de vida. O bezerro, adulto aos dois anos, e reproduzindo aos dois anos e meio, atinge a doze anos, e o cavalo, adulto aos quatro anos, viverá até vinte. Muito chegam a viver mais.

De acordo com essa regra, o tempo de vida do ser humano, sendo cinco vezes vinte, deveria ser cem anos ou mais.

Que é possível prolongar a vida além dos setenta anos é fácil provar observando os nascidos no Vermont que vivem em contato com a terra. Quanto mais eu estudo, mais me convenço da profunda relação existente entre a duração da vida e aquilo que se come. Os vermonteses se alimentam com conhecimento de causa, aprendendo no convívio com os animais domésticos.

Aprenderam que a alimentação diária deve ter em maior proporção alimentos vivos, tirados da terra naquele momento, como os carboidratos das frutas, cereais, verduras e raízes, e em menor proporção as proteínas, representadas pela carne, aves e ovos, etc.

O bom senso, baseado nos sábios princípios da Natureza, os capacita a manter e recuperar a casa humana para uma utilização prolongada. A eficiência e duração dela dependem da criteriosa seleção dos alimentos a ingerir, líquido a beber a ar respirar.

Para construir e restaurar nossa casa humana, mantendo sua eficiência e prolongando nosso tempo de moradia, precisamos levar em conta que elementos minerais dominam, no corpo. Se não faltarem no organismo, este funcionará de um modo “que vale a pena viver”.

Na medicina popular do Vermont se encontra uma receita extremamente simples e eficaz para suprir as necessidades de minerais do organismo, o vinagre de maçã vivo. Trata-se do vinagre de maça vivo feito da própria fruta, carregado de fibras e nutrientes vivos, sem aditivação, não pasteurizado ou esterealizado.

Vinagre de maçã é um maravilhoso purificador do sangue. Ele é rico em nutrientes de primeira linha, sais orgânicos fundamentais, ácidos benéficos para os processos bioquímicos do corpo, como o ácido málico, fólico, a peptina, etc, e outros complexos vitamínicos, todos provenientes da maçã, o produto inicial. Do ponto de vista puramente quantitativo, o alto teor de potássio, que é impressionante, coloca o vinagre de maçã à cabeça dos alimentos mais ricos em potássio na Natureza. Ainda que em quantidades menores, encontram-se também outros minerais (elementos principais e oligoelementos): o cálcio, o flúor, o magnésio, o sódio, o fósforo e o silício. Entre as vitaminas, encontram-se a vitamina C e o betacaroteno, duas substâncias que desempenham um papel importante na proteção das células e atuam de maneira eficaz contra os radicais livres, pois são antioxidantes naturais.

O modo de tomar o vinagre de maçã é o seguinte: uma ou duas colheres das de sopa de mel e uma ou duas colheres das de chá de vinagre de maçã vivo misturadas em um copo de 350 ml de água, de preferência, água levemente morna. Tome duas ou mais vezes ao dia, após as refeições principais, a dose pode variar conforme o trabalho mental e físico que se deva fazer. No caso de emagrecimento tomar essa dosagem uma hora antes das refeições, pois sua atuação é de catalisar o processo metabólico. O vinagre traz da maçã o seu componente mineral e o mel o traz do néctar das flores. O vinagre de maçã e o mel estão carregados de energia vital, e é um coadjuvante maravilhoso para a prevenção da saúde.

Trechos extraídos do livro: FOLK MEDICINE: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health, do médico norte-americano
DR. DC Jarvis, e do livro: "Os benefícios do vinagre de sidra e outros..." do dietista alemão Bernd Kullenberg.

leia mais
O vinagre de maçã, segredo da beleza e de saúde

Para permanecer dinâmico apesar do tempo que passa, é preciso ter uma vida saudável e ativa e, consequentemente, uma alimentação equilibrada. O vinagre de maçã é perfeito para fazer parte deste estilo de vida, pois é um dos melhores alimentos que existem: remédio natural excepcional, provado por gerações, atua tanto no interior como no exterior do corpo.

Você vai conhecer as múltiplas utilizações possíveis do vinagre de maçã para a beleza e reforçar a saúde do corpo.

A pele, o nosso maior órgão, representa uma barreira física e fisiológica contra as agressões ambientais. Embora tenha uma função de proteção, beleza e eliminação física, preenche igualmente um papel de expressão psíquica. Pois, são tanto os males corporais quanto os mentais que a pele transmite. Ela é um espelho das condições interiores de nosso corpo. Pele saudável, saúde saudável.

O vinagre de maçã é utilizado desde há muito na fabricação de produtos para cuidados corporais, além de ser indicado o uso interno como um excelente coadjuvante para os cuidados externos da pele. Com efeito, favorece a irrigação sanguínea, estimula as funções da pele e dá-lhe um aspecto fresco e saudável. O pH da pele está em torno de 3 em simpatia com o pH do vinagre de maçã que é 3 também.

Extraído do livro: “Os benefícios do vinagre de maçã e outros....” do autor Bernd Kullenberg, dietista alemão.
Editora Plátano Edições Técnicas. Portugal

leia mais
Tratamentos da Medicina Popular de Vermont

O tratamento do artritismo: Notou o doutor DC Jarvis o efeito extraordinário na cura do artritismo. Por exemplo: O leite extraído de uma das tetas de uma vaca era tão grosso que com a máquina de ordenhar não sairia. Tentando diluir o leite, o fazendeiro passou a pôr 50 gramas de vinagre de maçã em ambas as rações diárias. O animal gostou tanto do vinagre que ficava lambendo a manjedoura. Depois, ele aumentou para cem gramas em cada ração. O leite afinou e o artritismo desapareceu definitivamente. No inicio do tratamento a vaca produzia cinco litros de leite por dia - e passou para quase quinze litros. Outro fazendeiro que sofria de artritismo na nuca e no pescoço disse que antes de começar a tomar dez colheres das de chá num copo de água, a cada refeição, tinhas todas as articulações doloridas. Com a ingestão diária, várias vezes ao dia, o mal foi regredindo paulatinamente até desaparecer. Além da inchação, sofria de dores nas articulações, mas depois de algum tempo com esse tratamento, tudo regrediu e finalmente desapareceu por completo.

Para os que sofrem de artrite nos dedos: Além de tomá-lo com água ou mel, deve-se submergi-los no vinagre de maçã quente, durante dez minutos. Com esse tratamento, depois de certo tempo, desaparecem a dor e a deformação.

Dores de cabeça crônica: As dores de cabeça crônicas são atribuídas aos olhos, ao estômago, aos rins, ao fígado e a sinusite. O doutor Jarvis durante vários anos - apurou com ajuda de pessoas que sofriam desse mal - se a enxaqueca aparecia quando havia uma reação urinária ácida ou alcalina. Quando a urina estava ácida, as enxaquecas eram menos freqüentes, mais brandas, ou desapareciam. Dessa forma, recomenda o doutor Jarvis que as pessoas que sofrem desse mal necessitam conhecer os fatores que alcalinizam a urina e então combatê-los, ou seja, necessitam corrigir sua dieta para mais ácida, com a ingestão de folhas vegetais, frutas e, usufruir os benéficos ácidos do vinagre de maçã natural.

Dores de garganta: O remédio mais aplicado pela medicina popular do Vermont para inflamação da garganta é o gargarejo com o vinagre de maçã natural: Aliás, muitos profissionais do palco, atores, professores, oradores, locutores, etc fazem uso do vinagre de maçã diariamente. Fazem o gargarejo com uma colher de chá num copo dágua para limpar e proteger a garganta e as cordas vocais. Verificou o doutor Jarvis que a membrana formada sobre as amídalas desaparecia em dez horas.

Nas afecções reumáticas: A real origem desta doença está no sangue impuro, nas toxinas que não foram eliminadas e na deficiente função dos diversos órgãos; num antinatural regime alimentar ou devido a cargas hereditárias. Portanto a cura do reumatismo é obtida pela purificação do organismo em geral, de modo que a pele e a circulação sanguínea reacionem devidamente ante as bruscas mudanças de temperaturas. A medicina popular do Vermont, nesse caso, aconselha fazer a ingestão diária de vinagre de maçã natural tomando duas colheres com água e mel. Nas afecções reumáticas locais recomendam-se compressas quentes de vinagre de maçã. Proceda-se da seguinte forma: aquecer duas xícaras de vinagre de maçã, usando um pano grosso, preferivelmente lã, para que se conserve o calor. Fazer a aplicação local, três vezes ao dia, se possível a intervalos regulares.

Hipertensão: Poucos problemas têm tanta gravidade como a hipertensão, sendo indicadora de males ainda mais graves como as cardiopatias, derrames, crise renal, etc. Há uma ligação com os estados emocionais e o meio ambiente. Que faz a medicina popular do Vermont no caso de hipertensão? A Natureza indica uma alimentação rica em carboidratos, composta por frutas, brotos, folhas comestíveis e mel, em vez de uma alimentação rica em proteínas e composta de ovos, carne, leite, queijo, ervilhas, feijão e nozes, etc. Esse tipo de alimentação provoca o aumento considerável da alcalinidade do sangue, exceto se há um contrabalanço com a ingestão de ácidos como o vinagre de maçã natural, e outros alimentos igualmente ácidos. Logo ao acordar verifique o pH da urina com a ajuda da fita de tornassol, e veja se está ácida ou alcalina. Sendo alcalina deve-se aumentar a dosagem ácida de vinagre de maçã até que a urina fique ácida, o que indica que o sangue esta fluindo e não estamos correndo o risco de provocar depósitos de cálcio no sistema arterial, provocando a hipertensão arterial.

Para acne, espinhas, pruridos da pele do rosto e uso cosmético: O vinagre de maçã natural é também utilizado como um eficaz e excelente higienizador e cicatrizante, removendo impurezas e ajudando maravilhosamente na cicatrização de espinhas, combatendo a acne, pruridos, deixando a pele como nova. Para isso, faça o seguinte: com um pedaço de algodão umedecer em vinagre de maçã natural puro e proceder à limpeza do rosto, notará que a pele ficará limpa, macia, refrescante, higienizada e ajudará na sua cicatrização. Em seguida aproveite para massagear o rosto e os cabelos com o líquido de vinagre de maçã natural puro ou misturado em pouca água, devolverá a acidez natural da pele, o pH da pele é 3, igual portanto, ao do vinagre de maçã, fazendo com que o sangue irrigue a sua superfície, dando ao rosto um aspecto vivo, agradável e deixando a pele macia como seda, além de protegê-la de bactérias nocivas do ar. No banho é bom evitar sabonetes alcalinos que torna a pele pálida, sem vida e sujeitas ao ataque de bactérias alcalinas. A pele cuja reação é alcalina está sujeita a pruridos e a bactérias nocivas. Coceira na cabeça ou na pele do corpo é um pedido para que você deixe de usar sabonete ou xampu alcalino e passe a usar outro agente de limpeza neutro. No caso de homem, se a cabeça coça, basta despejar uma colher de chá de vinagre de maçã em um copo de água, mergulhar o pente nessa solução e pentear o cabelo, repetindo isso até que o cabelo fique bem úmido. Aproveite para misturar ao seu xampu um pouco de vinagre de maçã natural. Esse tratamento tornará os cabelos resistentes, sedosos e brilhantes, livres de lêndeas ou gorduras que se desprendem. Há pessoas que utilizam o vinagre de maçã natural durante o banho, despejando na banheira um copo do vinagre. Em outros casos, pode-se passar o vinagre de maçã natural diretamente na pele com a ajuda de algodão.

Para retrair varizes: Este remédio é empregado pela medicina popular do Vermont, mas também de vários outros países europeus. Friccione vinagre de maçã puro sobre as varizes, pela manhã e à noite. Após um mês, irá notar a retração das mesmas. Além da aplicação externa, deve-se tomar duas colheres de chá em um copo de água duas vezes ao dia para refinar o sangue e aliviar a pressão sobre os vasos e artérias.

Para preparação de Essências Florais: é um excelente conservante para as essências florais. Para os casos em que a pessoa não pode e/ou não quer tomar essências florais com brandy de uvas. Utilize o vinagre de maçã a 10% na solução com água mineral.

Contra indicação: Não foi observado qualquer efeito prejudicial à saúde até o presente momento. Entretanto, recomenda-se seja tomado com parcimônia e assiduidade, seguindo a prescrição certa para cada caso. As pessoas não habituadas à dieta ácida devem iniciar apenas com uma colher das de sopa de vinagre de maçã natural e uma colher das de sopa de mel de abelha (natural) misturado à água (copo duplo cheio). Preferindo adicione apenas água, aumente gradativamente a dosagem até duas ou três vezes ao dia ou mais dependendo de cada caso. Peça orientação de seu médico para prosseguir nos tratamentos indicados pelo Dr. DC Jarvis.

Trechos extraídos do livro: FOLK MEDICINE: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health, do médico norte-americano
DR. DC JARVIS.

leia mais
Vinagre contra a dengue

O singular vinagre, usado na culinária de todos os lares brasileiros, desponta como um inimigo definitivo do Aedes aegypti, transmissor da dengue. Desde 2003, o engenheiro agrônomo Reinado José Rodella coordenou, em Piracicaba, uma série de pesquisas usando o condimento diluído na água contaminada com larvas do mosquito. O resultado foi impressionante. Confirmou-se, nos laboratórios, que o ácido acético presente no vinagre eliminou todas as larvas das amostras analisadas.

De imediato, o coordenador do Projeto de Combate à Dengue de Piracicaba, Valdemar Correr, pediu que os agentes que estivessem percorrendo os bairros em campanha orientassem os moradores a colocar uma simples colher de vinagre nos recipientes com água parada. “Durante todo o ano passado, foram registrados na cidade apenas seis casos da doença, todos eles importados, ou seja, originários de outros municípios”, comemora.

A descoberta do engenheiro Rodella promete revolucionar o combate a uma doença que, sempre nos períodos de chuva, se torna um risco de epidemia em todo o Brasil. Só o Estado do Rio de Janeiro, para se ter uma idéia, investiu nos últimos cinco anos R$ 10 milhões nas campanhas públicas para eliminar os criadouros do mosquito, com a importação de um biolarvicida cubano.

As atuais estatísticas estão bem longe dos números assustadores de 2002, quando o Brasil registrou 800 mil casos da doença. Mas o risco de epidemia continua existindo. No Estado de São Paulo, segundo o Ministério da Saúde, existe hoje a notificação de 14 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Na região de São José do Rio Preto, a mais crítica, há municípios com índices equivalentes a 200 casos por 100 mil habitantes.

Gasta-se muito com equipamentos e mão-de-obra usados nos “fumacês” que dizimam as larvas. “Bastaria que todos os brasileiros fossem orientados a usar o vinagre, um produto comum e sem qualquer contra-indicação”, afirma Rodella.

Nos testes feitos no Centro de Controle de Zoonoses, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), na Carnevalli Biotecnologia e na Escola de Engenharia de Piracicaba foi constatado que basta a adição de 5% de vinagre no recipiente com água para que as larvas sejam eliminadas.

A notícia entusiasma Marcelo Cereser, presidente da Associação Nacional das Indústrias de Vinagre (Anav), entidade representativa dos 30 fabricantes brasileiros do condimento. Ele defende uma campanha nacional de conscientização.

Sabedoria do povo foi ponto de partida

“Não vá rir da minha história”, previne-se o pesquisador Reinaldo Rodella quando questionado sobre como descobriu a eficácia do ácido acético contra a larva do Aedes aegypti. O engenheiro conta que seu interesse no assunto começou quando ele ainda era garoto.

Como todas as crianças caipiras que se prezam no Interior, Rodella era levado para ser benzido contra o mau-olhado. Claro, crendices não possuem o menor fundamento científico. Mas, curioso, o menino percebeu que a benzedeira sempre colocava uma latinha no meio de um prato com vinagre.

No dia seguinte, quando ele voltava para uma nova sessão do benzimento, notava que o prato estava cheio de pernilongos mortos. Hoje, aos 55 anos, na coordenação do Serviço de Zoonoses de Piracicaba, o pesquisador conclui: “A gente aprende demais quando observa e não despreza os hábitos populares.”

Pesquisa desenvolvida pelo: Engenheiro Agronomo Sr. Reinaldo José Rodella-Esalq-USP-Piracicaba.

leia mais
Vinagre de Maçã, alimentação e a formação do bebê segundo a medicina popular de Vermont-EUA

A medicina popular do Vermont sustenta que a moléstia tem lugar quando as leis fundamentais da vida são alteradas.

É difícil, às vezes, imaginar que tenhamos sido no início, partículas microscópicas. Oliver Wendell Holmes dizia que a vida de um individuo começa cem anos antes do nascimento. Fisiológicamente, começamos nove meses antes de nascer. É necessário abrigo, calor constante, eliminação dos resíduos; a mãe deve ser sadia e bem alimentada para que uma criança comece bem a vida. E começar bem a vida é o momento mais importante para a formação do adulto do amanhã.

Se alguém pretende ser um bom jardineiro, aprende logo que no solo precisa haver azôto, fósforo e potássio. O azôto, para o desenvolvimento das folhas; o fósforo para a produção das flores, o potássio, para a resistência da raiz e do caule. Faltando esses elementos, a planta se ressente.

É por isso, também, que quando falta na dieta da mãe um ou mais dos minerais necessários na gestação, o organismo do bebe é prejudicado.

A mãe deseja ter um filho forte e vigoroso, um parto fácil, rápido, e uma imediata recuperação de forças depois. Era assim nos tempos primitivos. As tribos eram nômades, não havia tempo para esperar as mulheres terem longos resguardos.

Quanto aos alimentos ácidos, pode-se dizer que a gestante está de sorte. A Natureza semeia com abundância o ácido necessário nos produtos naturais do solo. Se houver uma tendência para deixar de lado as frutas, cereais e verduras, que são a fonte primordial dos ácidos, pode-se suprir essa deficiência tomando pela manhã uma mistura de uma ou duas colheres de vinagre de maçã dissolvida em um copo de água. Geralmente essa mistura evita ou cura o enjôo matinal.

A gestante que tomar diariamente os elementos exigidos pela Natureza pode esperar os seguintes benefícios na ocasião do parto.

O bebe nascerá com cabelos e unhas fortes – as unhas são a extensão dos ligamentos do corpo. Terá estrutura muscular tão poderosa que, antes de uma semana de idade, poderá levantar a cabeça do travesseiro. À medida que crescer, tornar-se-á evidente sua esplêndida coordenação entre o cérebro e músculos.

As funções digestivas do bebe serão normais.

O rosto da criança terá largura e formato como devem ser para permitir que os dentes cresçam nos devidos lugares, sem se acavalarem.

A parturiente terá leite em abundância. E a criança terá vivacidade mental. Quando começar a freqüentar a escola, será um prazer apreciar os seus progressos.

Os dentes da criança - que são a extensão do esqueleto ou ossos - indicam se a alimentação da mãe foi apropriada ou não. Na ocasião do parto, os dentes, formados enquanto o bebe ainda está dentro da mãe, estão encobertos pelas gengivas. Ao despontarem, indicam se o sangue da mãe lhes forneceu alimentação adequada ou não. Quando a formação pré-natal é boa, as más condições alimentares posteriores não a abalarão facilmente.

Há muitos pontos em comum entre a prenhez das vacas e a gravidez das mulheres. Muitas das observações que ponho em prática em relação às mulheres e às crianças se originaram assim. Um fazendeiro a quem aconselhei que pusesse na ração do gado uma dose diária de vinagre de maçã me mostrou um caso de parto rápido em vacas.

Estávamos em seu estábulo, ele olhou para o campo e me chamou a atenção para uma vaca que iniciava o trabalho de parto. Ele achou que teria tempo de terminar de limpar o estábulo antes de ir atendê-la. Mas, uns minutos depois, quando tornamos a olhar para o campo, a vaca já estava em pé, o bezerrinho ao lado, e vinham rumo ao estábulo. Os pelos do bezerro eram fartos, as pernas firmes.

Se considerarmos o corpo humano, concluiremos que a saúde ou a moléstia são condicionadas por sua partícula mais minúscula: a célula. O corpo é formado por bilhões de células microscópicas. São de diversos tipos: há células musculares, nervosas, ósseas, e inúmeras que circulam por todo o corpo, conduzidas pelo sangue. Cada uma tem sua função. Mas devem viver num meio líquido. Este está em movimento constante. É extraordinária a maneira pela qual esse líquido em movimento chega às várias artérias. As artérias partem do coração e gradualmente se subdividem em vasos cada vez menores até se transformarem em tubos muito finos, quais cabelos, e que por isso são chamados de vasos capilares. Estes existem em tão grande número que seria praticamente impossível transpassar qualquer tecido corporal com a agulha mais fina sem romper um ou mais desses vasos.

Cada célula extrai do líquido circundante o alimento e o oxigênio necessários à sua sobrevivência, secretando no mesmo o detrito produzido por sua atividade vital. A razão pela qual o fluído deve estar em constante circulação é que, se parasse, as células poderiam enfraquecer e até morrer, não apenas por falta de nutrição e oxigênio, mas também por que ficariam soterradas por detritos tóxicos - produto do seu próprio metabolismo.

A medicina popular do Vermont sustenta que a moléstia tem lugar quando as leis fundamentais da vida são alteradas. Ou seja, a saúde e a doença dependem da nutrição das células orgânicas.

As moléstias não nos atacam sem provocação, como fazem os ladrões. Antes que os elementos produtores da doença possam atacar, multiplicar-se, vencer e destruir precisa penetrar nas células. Assim, a Natureza nos dotou de várias sentinelas que nos avisam quando algo está errado. Uma delas é a urina, quando está alcalina, mostra que alguma função fisiológica está desequilibrada, e devemos agir para que volte ao seu estado normal, ligeiramente ácida. Portanto, nosso primeiro pensamento, quando a moléstia aparece, deve ser socorrer as células orgânicas. Uma forma de fazê-lo é bebendo o vinagre de maçã, pois assegura resultados magníficos e extraordinários para manter a saúde do corpo, torna o sangue fluídico e brilhante, além de desobstruir as artérias, as veias e outros canais do corpo, também tomar sucos de frutas ácidas, da maçã, mirtilos ou de uvas; pois, é fato consumado que os ácidos afinam os fluidos orgânicos, conservando-os liquefeitos, enquanto os alcalinos os engrossam, dificultando a circulação. Outra forma de fazê-lo é acelerando a função intestinal com um clister, ou a função da pele com um suadouro, através de atividade física, ou algum trabalho físico.

O proprietário de 54 vacas leiteiras, de diversas raças, me disse que 23 delas não pegavam cria. Sugeri que misturasse 60 gramas de vinagre de maçã em cada ração diária das 23 vacas e do touro logo após ter sido a ração posta no cocho. O vinagre de maçã, com seu potássio, sua natural acidez e seus minerais associados, criaria no organismo dos animais condições propícias para a procriação.

A ração com vinagre de maçã começou a ser dada em primeiro de novembro. Na ultima semana de fevereiro seguinte, todas as 23 vacas estavam para dar a cria e, no devido tempo, tiveram bezerros fortes e espertos, que cinco minutos depois estavam em pé e meia hora depois mamavam. Não foi necessário ensinar-lhes beber o vinagre de maçã no balde, eles o fizeram por iniciativa própria.

Outra experiência: um dentista, meu amigo, que criava cães “boxers”, tinha uma longa lista de pessoas que desejavam filhotes. Enfrentavam um sério problema: embora possuindo seis cadelas, apenas uma ninhada havia nascido no ano anterior.

De acordo com a medicina popular do Vermont, isso indicava deficiência de potássio e outros minerais. Sugeri-lhe que adicionasse, uma vez ao dia, uma colher de sopa de vinagre de maçã à ração de cada animal.

Ao fim de um mês notou que o vinagre de maçã produzira uma reação química no organismo dos cães: a urina deles já não manchava a neve (era inverno) de amarelo: deixava-a branca. No ano seguinte todas as cadelas tiveram ninhadas. Os filhotes eram fortes e vigorosos, resultado positivo de uma prenhez normal.

Trechos extraídos do livro: FOLK MEDICINE: A Vermont Doctor’s Guide to Good Health, do médico norte-americano
DR. DC JARVIS.

leia mais
Vinagre de Maçã Natural, dádiva da Natureza

A origem do vinagre se perde nas noites dos tempos, quando alguém preparou um suco de frutas fresco, naturalmente adocicado com mel e o fechou em uma cuba de pedra. O que se viu algum tempo depois foi o suco que fermentou e se transformou em um liquido ligeiramente

Inebriante chama-lo de vinho. Após a surpresa geral do liquido dos deuses, extasiante, que alegrava e liberava os instintos, todo o álcool do vinho se transformou em uma bebida muito ácida! Será que uma cuba, ou barril de vinho havia sido esquecido aberto durante um certo tempo? Alguém se esqueceu de tampá-lo? Ou ainda, seria possível que alguém já conhecia das possibilidades da fermentação do vinho? Realmente, é difícil saber como aconteceu e o vinagre apareceu no seio da civilização.

Deve ter sido um acontecimento de importância extraordinária. Descobrira-se que o vinagre era um conservante e um remédio quase universal. Os legumes submersos neste maravilhoso líquido conservavam suas cores frescas e mantinham sua consistência. O peixe ainda era comível bem depois do tempo suficiente para seu apodrecimento. As feridas purulentas tratadas com o vinagre saravam rapidamente. Era uma descoberta e tanto, um alivio para populações que não podiam contar com muita outra ajuda. O vinagre era de uso comum, todo mundo conhecia as propriedades do vinagre, sabiam como fabricá-lo em sua casa e guardava sua porção de vinagre para as emergências do dia a dia. Sim, o vinagre era conhecido pelas comunidades que o utilizavam largamente. O vinagre é tão antigo quanto a própria maçã.

Em todas as épocas da historia da terra o ser humano pôde contar sempre com uma ajuda essencial para aliviar seus males. O vinagre era um elemento crucial na manutenção da saúde. E o vinagre de maçã faz parte da história e sempre acompanhou o homem em sua trajetória de paz e guerra.

A palavra vinagre vem da combinação das palavras latinas “vinum e acrem”, e significa vinho acre. Muito embora o vinagre de uma forma geral possa ser feito a partir de quase qualquer líquido moderadamente adocicado, os melhores benefícios para a saúde são atribuídos ao vinagre de maçã, sem sombra de dúvidas. O vinagre de maçã empresta da maçã suas qualidades extraordinárias para a manutenção da saúde. Dessa forma, normalmente quando se fazia referência ao vinagre, ficava subentendido que se tratava do vinagre de maçã. Hipócrates o pai da medicina recomendava porções de vinagre de maçã diárias para a manutenção da saúde e o tratamento de ferimentos das guerras tão comuns nessa época.

Sabemos que existem no mundo mais de 4.000 qualidades diferentes de maçã. Fruta universal e mestra por excelência, ela tem atrás de si uma história que se mistura com a fantasia e a realidade, sendo mencionada também na Bíblia sagrada. Porém, sabe-se que a maçã é uma fruta extraordinária, por conter inúmeros ácidos orgânicos essenciais, enzimas e fibras fundamentais para os processos fisiológicos do corpo.

Na mitologia grega, a maçã é o símbolo da fertilidade e do amor (a maçã de Afrodite). Na mitologia cristã, a maçã, é um sinal do pecado original, o fruto da árvore do conhecimento que Adão e Eva não tinham direito de provar e por causa do qual foram expulsos do paraíso. Na Idade Média, o menino Jesus é freqüentemente representado sentado sobre os joelhos da mãe, com uma maçã na mão para simbolizar o Universo. Inúmeras lendas e costumes fazem ainda referências à maçã.

Assim, conta-se que quando os heróis entravam em Walhala o paraíso da mitologia germânica, lhes era oferecida uma maçã com o poder de conferir beleza, força e juventude eternas. Diz-se ainda que aquele que encontra uma maçã entre 25 de dezembro e 6 de janeiro terá a alegria de a ver transformar-se em ouro.

Talvez por essa razão e outras que ainda não podemos saber, é que o vinagre de maçã natural tenha esse carisma e simpatia e goze de seu status como uma bebida única.

leia mais
Vinagre de Maçã normaliza a pressão sanguínea

Os ácidos dos alimentos naturais ajudam a diminuir o espessamento do sangue causado por proteínas “pesadas” saturadas, e também pelo acúmulo constante de cristais endurecedores provenientes da água e bebidas que ingerimos diariamente. A melhor água a ser tomada é a água contida nas frutas, ou a água destilada.

Para que o sangue circule livremente pelo corpo, ele deve ser fino, fluídico. Quando o sangue está espesso ele sobrecarrega o coração. A pressão sanguínea então sobe e muitos problemas de saúde começam. Lembre-se, o sangue deve circular por todo o corpo pelas artérias, veias e pequenos capilares. É impossível para o sangue circular livremente por esses pequenos vasos quando está engrossando, ou se espessando. A deposição de cristais, cálcio principalmente, tamponam esses diminutos vasos capilares, e a conseqüência todos já sabem – a pressão arterial sobe.

Com muitas refeições de proteínas pesadas, gorduras e óleos endurecidos mais a água carregada de cristais endurecedores temos uma perfeita receita para a engrossar nosso sangue.

Pessoas perguntam se o vinagre de maçã irá deixá-los mais magros? Ele ajuda a balancear a química do corpo, acelera o metabolismo, normaliza o peso do corpo, dissolve a deposição de cristais.

leia mais